Gordura vegetal – como consumir legumes

0
1602

Se as crianças torcem o nariz aos legumes e fruta e querem sempre os mesmos alimentos, ouse e abra os horizontes para novos paladares. Conheça outras formas nutritivas e diferentes de fazê-los comer.

As gorduras vegetais dão uma ajuda. A falta de tempo dos pais faz com que se cozinhem muitas vezes os mesmos alimentos. Inconscientemente esquece-mo-nos que a variedade é uma mais-valia na cozinha, permitindo aos mais pequenos ingerirem e conhecerem novos alimentos, ao mesmo tempo que lhes aumenta a curiosidade e o apetite por novos sabores.

Os óleos vegetais são verdadeiros aliados neste desafio, e sabe porquê? Por exemplo, quando se consome legumes sem o acompanhamento de gordura, deve juntar algumas gotas de óleo vegetal ao preparado. Isso facilita a absorção de substâncias lipossolúveis, como os carotenóides e a vitamina A, nutrientes essenciais ao bom desenvolvimento do organismo.

Conhece, de certeza, a laranja, a banana, ou a maçã, mas já experimentou misturar outras frutas e legumes, como o abacate e os espinafres? Estes alimentos permitem combinações aparentemente pouco prováveis mas ricas em vitaminas e antioxidantes, benéficos para o organismo. Por exemplo, quando o assunto são as papas, experimente triturar um abacate, misture uma banana e acrescente uma colher de chá de óleo de girassol.

Se preferir, pode substituir o abacate por espinafres crus, ou então triturar pêra com pepino cru. Quanto às saladas, quantas vezes pensou que “é sempre a mesma coisa”?

Aproveite e substitua a tradicional combinação alface e tomate e dê lugar à beringela cortada em tiras finas misturada com pepino.

Todas estas combinações requerem a presença de uma gordura vegetal, que ajuda na ligação dos alimentos, conferindo-lhes suavidade e leveza. Ao mesmo tempo, os óleos vegetais também fornecem ácidos gordos polinsaturados que o corpo não consegue produzir e são uma fonte extra de vitamina E, potente antioxidante e elemento essencial na formação dos glóbulos vermelhos do sangue.

No caso da utilização a frio, para a criação de saladas, temperos e molhos, pode sempre variar entre o óleo alimentar, o de girassol ou o de milho:

Óleo alimentar, mistura de óleos que reúne todos os benefícios das gorduras vegetais;

Óleo de girassol, rico em ácidos gordos essenciais omega-6 (ácido linoleico), vitamina E, e com um papel importante na redução do risco de doenças cardiovasculares e do colesterol, melhoria da função vascular e do sistema imunitário;

Óleo de milho, onde abunda a vitamina E, sendo também uma óptima fonte natural de fitoesteróis, que funcionam como redutores de absorção do colesterol e ajudam a controlar os níveis do mau colesterol no sangue.

Nutricionista Maria Paes Vasconcelos

Classificação
A sua opinião
[Total: 0 Média: 0]