Os antepassados do Pão

0
1107

O pão é um dos alimentos ao qual muitas pessoas não conseguem resistir. Servindo como base de alimentação de muitos povos, julga-se que o pão tem cerca de 10 000 anos de história.

A maioria da civilizações têm na sua ementa o pão. Confeccionado a partir de técnicas antigas, os avanços registados no seu fabrico foram já bastantes. Com um consumo elevado, que pode ser também justificado não só pelo gosto provocado pelo mesmo como também pelo seu preço, relativamente inferior aos outros produtos alimentares, o pão é a base da alimentação e o principal ingrediente de pratos regionais portugueses, como é o caso das migas, açorda ou do gaspacho.

O primeiro indício da longínqua existência do pão tem a ver com o facto de terem sido encontrados em Jericó vestígios de grãos de trigo com mais de 10 000 anos. Mas, o pão nasceu de uma forma muito arcaica e rudimentar, bem distante das suas formas actuais de concepção. Na Babilónia, por exemplo, há sensivelmente 3 000 anos, o pão era cozido entre duas placas de pedra.

O pão, nos primeiros tempos de existência, e após os povos se terem apercebido que através do calor e humidade a fermentação da massa era possível, era confeccionado a partir de diversos produtos: cevada, trigo, castanhas, milho, centeio ou raízes de plantas. Eram estes cereais que eram cozidos ou assados em cima de uma pedra quente, e depois moídos. As papas que provinham após o adicionamento de água eram, uma vez mais, colocadas nas pedras para aí então originar o produto final.

O povo egípcio foi o primeiro a recorrer a técnicas mais sofisticadas, semelhantes às que actualmente ainda são utilizadas. Começou a haver uma porção determinada de cereais para fazer o pão, foi introduzido o sal na sua confecção, e começaram a perceber que existiam pequenas particularidades que deixavam o pão mais saboroso e com maior volume.

Os gregos tornaram-se fãs deste novo alimento. Aliás, e depois da descoberta do fermento, os gregos passariam a introduzir na confecção do pão o leite e o mel, que só eram consumidos em ocasiões especiais. De povos para povos, a arte de fabricar o pão foi sendo transmitida um pouco por todo o mundo. Também os romanos tiveram um papel importante para o desenvolvimento das técnicas da sua confecção, uma vez que construíram fornos em tijolo e moinhos, estes últimos permitindo que a farinha se tornasse bem mais fina do que até então.

Das casas dos grandes senhores, onde o pão constituía quase um alimento de luxo, a receita para se fazer o pão começou a chegar a todo o lado, incluindo ao povo, até porque quem fazia os deliciosos pães nas casas dos senhores eram pessoas provenientes do povo. Os primeiros estabelecimentos onde se fazia a venda do pão surgiram pela primeira vez, ou seja, as padarias, e tornar-se-ia também comum a venda ambulante deste produto. Qualquer um passou a ter acesso ao consumo de pão e ao método utilizado para a sua confecção.

Num âmbito geral, os avanços registados na confecção do pão prendem-se com um aperfeiçoamento das técnicas, com a implantação de novas estruturas que permitem a confecção deste alimento em maiores quantidades, e o recurso a diversos tipos de ingredientes adjacentes que nos permitem encontrar pão com gostos variados, ou mesmo o famoso pão integral.

O processo da colheita do cereal até à obtenção do pão, propriamente dito, leva algum tempo. Só quando o cereal está já maduro é que se pode proceder à colheita, colocando-se os grãos armazenados em celeiros para esse efeito. Parte-se, posteriormente, para o processo da moagem, e só depois é que se junta a água, o sal, levedura, entre outros produtos, à farinha.

Amassa-se tudo muito bem, quer seja manualmente ou através de uma máquina, mas dando sempre o padeiro forma ao pão, e depois a massa é colocada em tabuleiros que vão ao forno cozer. Consoante o tamanho do pão assim será a cozedura do mesmo, mas habitualmente leva cerca de 15 a 30 minutos, sensivelmente, para pães pequenos e grandes, respectivamente.

Deixámo-la com água na boca? É natural! O pão é um dos alimentos que os portugueses não conseguem ignorar, e o seu consumo chega mesmo, por vezes, a ser em demasia, e não ajuda nada aqueles que sonham em perder aqueles quilos a mais. Nós vamos deixá-la abusar, mas só por hoje! Experimente uma fatia de pão com queijo, ou fiambre, mista, com ou sem manteiga. Pode também experimentar com um pouco de doce, marmelada, chocolate, paio, presunto.

As opções são tantas que as deixamos ao seu critério! Não abuse, e experimente apenas 2 ou 3. Amanhã, volte ao normal, não dispensando o pão da sua alimentação, mas consumindo quantidades muito, mesmo muito, pequenas!

Classificação
A sua opinião
[Total: 0 Média: 0]