O espumante, sempre em festa

0
1022

Em aniversários, em festas ou em casamentos, o vinho espumante aparece sempre associado a celebrações.

Um pouco por todo o lado, prepara-se a grande festa. Muita música e alegria, amigos e as inevitáveis passas são os ingredientes indispensáveis. E tudo isto bem regado, com uma bebida especialmente adequada para estas situações

O espumante – Originário da região de Champagne, em França, esta bebida alcoólica é produzida seguindo regras já seculares.

Se hoje já existem métodos mais sofisticados (onde a fermentação é feita em grandes recipientes), o método tradicional ainda continua a ditar as regras. Tudo começa com a reunião de três castas – uma branca (Chardonay) e duas tintas (Pinot Noir e Pinot Meurier) – às quais se juntam os açúcares e as leveduras.

E são estas últimas as responsáveis pela transformação dos açúcares em gás carbónico, obtendo-se, assim, um vinho gasoso. As garrafas são, de seguida, guardadas numa cave, onde são sujeitas a uma trepidação e a uma rotação de um quarto de volta, ao mesmo tempo que se vai aumentado a inclinação da garrafa.

Por fim, chega a vez de adicionar o licor de expedição – açúcar, ácido cítrico, conhaque e champagne. O espumante está, finalmente, pronto.E é só servir. Sabe como?

Comece por se certificar de que o espumante se encontra a uma temperatura entre os 6 e os 9º C. Só assim, poderá realmente saborear esta bebida.Se tal não se verificar, coloque a garrafa, durante cerca de 20 minutos, num recipiente com gelo ou no próprio frigorífico – mas nunca no congelador.

De seguida, incline ligeiramente a garrafa e retire a argola em arame que segura a rolha. Depois, com uma mão pegue na garrafa e, com a outra, segure a rolha. Rode a garrafa – vai ver que, lentamente, a rolha vai saindo. Finalmente, é só servir.Incline a garrafa cerca de 45 graus e encha os copos. Estes devem ser de vidro, altos e estreitos (os chamados flûtes), para que o líquido não perca muito gás.

Mas, antes disto tudo, temos ainda de escolher o vinho espumante que vamos servir. Se percorrermos os supermercados, uma variedade de produtos nacionais e internacionais desfilam diante dos nossos olhos.

Primeiro que tudo, existem 6 categorias diferentes de acordo com o seu nível de açúcar:

  • extra bruto: entre o 6 g por litro;
  • bruto: menos de 15 g por litro;
  • extra seco: entre 12 e 20 g por litro;
  • seco: entre 17 e 35 g por litro;
  • meio seco: entre 33 e 50 g por litro;
  • doce: mais de 50 g por litro.

Mas qual a melhor marca? Para que não se perca, apresentamos-lhe os resultados de um estudo recentemente realizado.

Principal conclusão: existe vinho espumante melhor e muito mais barato do que certas marcas mais afamadas de champagne. Assim, mais caro não implica maior qualidade. Aliás, as escolhas acertadas são sempre produtos nacionais.

O teor alcoólico e o nível de açúcar devem ainda merecer, segundo esta revista, uma maior atenção, já que houve marcas cujos valores apresentados no rótulo em nada correspondiam aos encontrados no espumante.

Classificação
A sua opinião
[Total: 0 Média: 0]