Crónica: Vem aí o Natal!

2028
Virginia Costa Matos
Virginia Costa Matos

Vem aí o Natal! E com esta celebração somos presenteados com uma grande variedade de iguarias, algumas, bem do agrado de muitos dos nossos leitores.

O pior é que tudo isso se faz acompanhar, com demasiada frequência, por uma ingestão exagerada de alimentos e pelas respectivas perturbações digestivas. Assim porque não desfrutar este Natal, comendo o que lhe apetece, mas sem ter azia, ou sentir-se enfartado e arrependido de ter comido tanto mais uma vez?

Vem aí o Natal

Normalmente as dificuldades digestivas surgem porque se come demasiado de uma vez, e neste caso, várias vezes durante os festejos natalícios, ou seja, a noite de 24 e o dia 25 de Dezembro.Mas hoje em dia começamos a encontrar alguns dos doces, típicos desta época festiva, nas pastelarias e nos restaurantes desde o início de Dezembro.

Por outro lado, estes também começam a aparecer, desde cedo, nos locais de trabalho ou no almoço ou no jantar das empresas. Ou seja, as solicitações começam mais cedo o que, como tudo na vida, tem as suas vantagens e desvantagens. Não se esqueça que normalmente também sobram doces e comida do dia de Natal à noite de 24 e ao dia 25 de Dezembro, conforme já referimos.

Por isso porquê empanturrar-se hoje se amanhã ainda pode comer aquilo que gosta?O que é importante é que as oportunidades para comer as iguarias típicas do Natal, não se limitam exclusivamente aos dois dias de festejos. Assim, é preferível fazê-lo de forma mais repartida ao longo do mês de Dezembro, em vez de se empanturrar durante dois dias.

Desta forma evitará sobrecarregar o seu organismo e sentir-se mal, e desfrutará, durante mais tempo, do prazer dos alimentos que gosta. Algumas pessoas não comem demais durante o Natal mas sim entre o dia 26 e o Ano Novo.

Isto porque a casa está cheia de sobras das iguarias de que gostam, outras porque tiveram o cuidado de não exagerar durante aqueles dois dias, sentem que essa pressão já acabou e depois têm dificuldade em resistir à abundância de alimentos que gostam e nos quais esbarram em todo o lado.

É a tacinha dos frutos secos que está na sala, os doces que estão em cima do móvel na casa de jantar, o resto do peru e do bacalhau com natas com que se depara quando abre o frigorífico… Por isso se celebra o Natal em sua casa faça um pouco menos de comida ou congele o que poder e distribua parte do que lhe sobra pelos seus convidados.

Estes ficarão muito satisfeitos e por outro lado estará a ajudar os seus familiares a terem que comer menos destes alimentos mais ricos.Não se esqueça que os frutos secos são muito calóricos, ou seja, fornecem muita energia ao seu organismo, e que nestes dias terá uma vida mais sedentária.

Se não utilizar toda essa energia o excesso do que ingeriu irá ser transformado em gordura no seu corpo. Por isso tenha cuidado ao comer frutos secos, pois até existem o ano inteiro e podem ser comidos, em maior quantidade, em qualquer outra altura.

E, vendo bem, também pode combinar com a sua família que não vale a pena empanturrarem-se este Natal, pois pode fazer uns sonhos, azevias ou outras iguarias mais próprias desta época, num outro fim-de-semana um pouco mais tarde. No fundo, não é necessário esperar pelo Natal para se comer aquilo de que se gosta. E não se esqueça de mastigar devagar para poder saborear bem aquilo que come.

Ficar sentado à mesa depois da refeição, durante horas, faz com que se sirva de mais um pouco, petisque isto e belisque aquilo. Por isso é melhor passarem para a sala depois da refeição. Se por alguma outra razão ficam sentados à mesa levantem-na de forma que esta não continue cheia de doces, fatias de peru, frutos secos etc.

É preferível voltar a servir tudo de novo na próxima refeição se ainda estão reunidos.É possível reduzir um pouco a gordura com que se cozinha sem que isso afecte necessariamente o sabor do prato e vai ver que estará a ajudar todos, facilitando-lhes a digestão.

Sirva também uma boa salada ou, por exemplo, uns cogumelos com alho e cebola ou tomate às rodelas assado no forno com oregãos, para acompanhar o peru, pois são desenjoativos e uma boa alternativa para quem quiser comer menos batata ou o arroz nesse dia.

Se faz mais do que uma sobremesa, tente que uma seja à base e fruta, como por exemplo uma “bavaroise”. É mais fresca e menos enjoativa que os doces tradicionais, e por isso mesmo pode saber bem e ser muito apreciada.Nos dias em que come mais beba também mais água e, se gosta, infusões de plantas como por exemplo de hortelã que é um óptimo digestivo natural, ou de salsa que é diurético.

Bebendo bastante evita fazer retenção de líquidos. Por outro lado, obriga os rins a trabalharem e a desempenharem o seu papel de limpeza do sangue.

Assim, o fígado não tem que fazer isso e pode desempenhar melhor as suas funções digestivas o que lhe será, sem dúvida nenhuma, conveniente pois assegurar-lhe-á uma melhor digestão e ajuda a não aumentar tanto de peso.

Cuidado com as bebidas alcoólicas se vai conduzir.

É preferível pedir à sua mulher ou a um dos seus filhos que conduza, pois o condutor não deve beber mais do que o autorizado pela lei. Isto pode parecer muito ríspido mas com certeza que concorda que a segurança da sua família está em primeiro lugar.

Cronista Virginia Costa Matos

Classificação
A sua opinião
[Total: 1 Média: 5]