O papel do Chá nos costumes das diversas culturas

2324
O papel do Chá nos costumes das diversas culturas
O papel do Chá nos costumes das diversas culturas

O chá é um produto tradicional da China. Remonta por volta do ano de 2750 a.c., altura em que foram descobertas as propriedades específicas do chá. Da descoberta das propriedades medicinais, as primeiras plantações surgiram muito tempo depois, cerca do século V a.c. . Por esta altura, já a população chinesa estava completamente entregue ao sabor e prazer que o chá proporcionava.

O papel do chá nas diversas culturas

A lenda chinesa da história do chá

Na verdade o chá foi descoberto, segundo uma lenda chinesa, por Shen Nung, um imperador, que ao descansar debaixo de uma árvore de chá, ‘Camelia Sinensis’, constatou o sabor das suas folhas. Consta-se que o imperador estava a beber água e quando na água caíram, inesperadamente, as folhas de chá Shen Nung ficou fascinado com tamanho paladar.

A muita procura do chá na China por parte de estrangeiros, a partir da altura das suas primeiras plantações, fez com que fosse necessário a criação de um novo método que assegurasse a maior durabilidade das folhas de chá, permitindo o transporte das mesmas para sítios distantes. Para além do chá verde, passou também a ser possível o consumo do tradicional chá preto.

O Chá na cultura japonesa

No Japão, o chá ficou a fazer parte integrante desta cultura, desde o período em que monges budistas o traziam da China para o Japão. Não era por acaso que naquele tempo os japoneses tinham uma cerimónia do chá característica, conferindo ao chá uma filosofia de vida totalmente diferente de todas aquelas adoptadas até essa fase.

Do chá verde ao chá preto, os japoneses eram adeptos de qualquer uma das formas de chá, pois acreditavam que nele encontravam uma postura e forma de vida distintas, aliviando o stress diário

O Chá na cultura europeia

Na Europa, foram os Portugueses os primeiros a introduzir as folhas de chá. Em meados do século XVII, o chá era um bem consumido por grande parte da Europa e apreciado pela sua maioria. Nas cortes de toda a Europa, o consumo de chá começou a ser um ritual comum às pessoas de sangue azul.

O chá era associado a uma classe social elevada, aos nobres e aristocratas, que realizavam verdadeiras reuniões e encontros sociais acompanhados por uma chávena de chá. A ‘Camelia Sinensis’, árvore que dava as folhas de chá, passou a ser a árvore mais conhecida dessa época.

O tradicional ‘Chá das Cinco’ apareceu no século XIX, e teve na sua origem a 7ª Duquesa de Bedford, Ana, quando começou a indicar a bebida para ser bebida ao fim da tarde, acompanhada por biscoitos ou bolos.

Esta era um refeição leve que servia de motivo para se encontrarem as senhoras da alta sociedade, enquanto os maridos andavam a cuidar dos bens da família, a caçar ou em alguma reunião social a tratar de negócios.

A partir daí, o ‘Chá das Cinco’ expandiu-se por toda a Europa, e foram algumas as sociedades que tentaram seguir este exemplo, embora o verdadeiro título socialmente requintado do ‘Chá das Cinco’ pertença aos britânicos.

Posteriormente, o chá começaria a aparecer não só em folhas soltas, mas também em saquinhos. Esta nova forma de apresentação do chá proporcionava um transporte e comercialização mais simples, sendo extremamente fácil fazer a divisão dos vários tipos de chás.

As condições de higiene passaram a ser muito mais respeitadas e, como a porção de chá em cada pacote era a ideal, não havia como as pessoas se enganarem na porção perfeita. Hoje em dia, o chá pode ser comprado de diversas maneiras, embora a forma preferida seja ainda o chá em saquetas.

O papel do chá na sociedade britânica

Todavia, e se o chá percorreu o mundo inteiro através da sua comercialização, foi também este produto utilizado para aquela que ficaria conhecida como ‘ The Boston Tea Party’. Após a Grã-Bretanha ter criado taxas de produtos de uso diário, como era o caso do chá, fez com que os britânicos se revoltassem.

Na campanha contra a Companhia Britânica das Índias solicitava-se à população que consumisse o chá proveniente de contrabando holandês, mas que não pagava impostos, em vez do chá britânico que obrigava a uma taxa elevada. Assim, esta campanha teve o seu auge a 16 de Dezembro de 1773 quando os colonos, disfarçados de índios Mohawk, deitaram ao mar quase 350 caixas de chá no porto de Boston.

O facto do comércio do chá ser cada vez mais importante e oferecer mais lucro levou a situações desagradáveis como esta, motivadas pelo monopólio da venda do chá nas colónias por parte da Companhia Britânica das Índias Orientais.

Benefícios do chá

O chá conserva em si propriedades antioxidantes que previnem o organismo de doenças ou substâncias perigosas.

O chá ajuda a prevenir problemas proporcionados por essas substâncias, vindo a desempenhar um papel essencial na boa formação das células e dos tecidos, bem como evita o desenvolvimento de doenças crónicas, como o cancro, acreditando-se que previne problemas de coração.

O chá é também um veículo importante no que diz respeito ao combate do stress, ansiedade, nervos, depressão ou irritação.

A história do chá – cerimónia japonesa

Não era por acaso que a cerimónia de chá, ‘Chanoyu’, iniciada e desenvolvida no Japão por monges budistas, tinha tantos adeptos.

A cerimónia implicava estar 4 horas concentrado a beber chá . Os monges sentavam-se, e a única coisa que faziam era concentrarem-se no acto de beberem chá, libertando-se assim do stress físico e mental desse dia.

Há povos que acreditam que somente com o chá se pode alcançar largos anos de saúde, e conseguir viver até muito tarde. Verdade ou não, o certo é que o chá tem estado a ser objecto de estudo por forma a descobrir mais vantagens relativamente ao seu consumo. E, enquanto não se conhecem outras mais valias provenientes deste produto, relaxe e acalme-se um pouco bebendo uma chávena de chá. Preto ou verde, a opção é somente sua!

Classificação
A sua opinião
[Total: 1 Média: 5]