Conheça todos os segredos da pílula anticoncepcional

4489
Conheça todos os segredos da pílula anticoncepcional
Conheça todos os segredos da pílula anticoncepcional

A pílula anticoncepcional é um medicamento que faz com que se exclua a possibilidade de uma gravidez indesejada. Apesar de ser um dos medicamentos mais estudados do mundo, ainda persistem certos mitos e dúvidas…

A pílula anticoncepcional

A pílula actua no organismo através dos seus componentes hormonais, não deixando ocorrer a hipófise, ou seja, a libertação do óvulo maduro. Este processo faz com que se exclua a possibilidade de uma gravidez indesejada. Apesar de ser um dos medicamentos mais estudados do mundo, ainda persistem certos mitos e dúvidas…

A grande maioria das mulheres, utiliza a pílula como método contraceptivo. No entanto, e apesar de ser o medicamento mais investigado, de um vasto leque de medicamentos, persistem ainda algumas dúvidas e receios quanto a este método contraceptivo. É corrente, depararmo-nos com dúvidas acerca da sua eficácia, ou dos seus efeitos secundários que tanto assustam algumas mulheres.

A pílula é constituída por hormonas, em muito semelhantes, às produzidas pelos ovários. Derivado a esta semelhança, os efeitos da pílula conseguem “enganar” a produção e libertação de um óvulo maduro, processo denominado de hipófise, excluindo assim, uma possibilidade de fecundação.

A pílula é composta por um estrogénio e um progestagénio que possibilita na sua acção de contraceptivo, a protecção eficaz e segura contra a gravidez, reduz os efeitos secundários indesejáveis ao máximo e controla o ciclo da menstruação, regulando-o para um ciclo regular de 28 dias.

Dois conceitos fundamentais a reter sobre o funcionamento do corpo da mulher, são os “dias férteis”, que são os dias em que, se a mulher tiver relações sexuais pode engravidar, pois isto sucede quando se dá o processo da “ovulação”, o segundo conceito, que acontece em média, 14 dias antes da última menstruação, sendo que o primeiro dia do ciclo corresponda ao primeiro ciclo da menstruação. Então, é considerado particularmente fértil o período compreendido entre os 16º e 12º dia do ciclo que precedem a menstruação.

Os benefícios da pílula

De entre os restantes métodos contraceptivos, a pílula garante a mais elevada taxa de eficácia, proporcionando importantes benefícios tais como:

  • o controlo do ciclo (tal como foi já referido),
  • a diminuição do risco relativo a miomas uterinos ou doenças inflamatórias pélvicas e outras inflamações,
  • reduz a dor menstrual,
  • diminui a probabilidade de aparecimento de quistos do ovário,
  • reduz o risco de cancro do endométrio,
  • melhora a tensão pré-menstrual,
  • protege contra o aparecimento de afecções mamárias benignas e
  • diminui a anemia por deficiência de ferro, pelo regular da menstruação e do seu fluxo.

A pílula é o método mais seguro, de entre a vasta gama de contraceptivos. Porém não tem a capacidade de proteger contra doenças infecciosas sexualmente transmissíveis, como a SIDA.

Para se proteger, poderá recorrer ao uso de preservativos masculinos, para o seu parceiro ou femininos, para si.

No entanto, há que referir que o preservativo não é mais seguro que a pílula, como meio de protecção de uma eventual gravidez, apenas evita o contágio das doenças atrás referidas, por isso, a protecção nestes casos, terá que ser utilizando simultaneamente, estes dois métodos contraceptivos.

Ao se decidir pela pílula terá, antes de mais, consultar o seu médico, ou uma das várias consultas de Planeamento Familiar, disponíveis em qualquer Centro de Saúde.

O médico terá que obter de si todas as informações acerca da sua saúde, doenças anteriores, alergias ou medicação, principalmente a que toma nesse momento. Estas informações são extremamente importantes, pois só assim, o médico estará apto a aconselhar-lhe a pílula correcta, sem que esta seja prejudicial ao seu organismo, ou que entre em conflito com a sua actual medicação, se for esse o caso.

Aconselha-se, no entanto, consultar o seu médico, todos os seis meses, após o início deste método contraceptivo, apenas como rotina. Se mais tarde decidir interromper ou terminar a toma da pílula, isto não afetará o seu ciclo hormonal, que é imediatamente restabelecido, não tendo assim nenhuma influência sobre a sua fecundidade posterior.

Classificação
A sua opinião
[Total: 0 Média: 0]