Menopausa – o que fazer para aliviar os principais sintomas

2689
Sintomas da menopausa
Sintomas da menopausa

Durante a menopausa a mulher pode necessitar de uma quantidade extra de vitaminas e sais minerais, especialmente cálcio. A ingestão de alimentos ricos em cálcio é igualmente importante para a manutenção da massa óssea. Uma boa dieta é fundamental para uma boa saúde em todas as idades.

Menopausa

Veja alguns habitos com impacto na menopausa e como aliviar os alguns sintomas

Fumar

O hábito de fumar é um fator que, por si só, aumenta a possibilidade de doenças cardíacas e pode também favorecer o aparecimento da osteoporose. Assim, se você é fumadora procure eliminar esse hábito.

Tranquilidade e repouso

Um sono tranquilo é sempre bom. Dê a si mesma tempo suficiente para dormir e evite beber café ou chá antes de se deitar. E procure repousar e estar descontraída e livre de stresse e tensões.

Exercício Físico

Em conjunto com uma dieta adequada, o exercício é a melhor forma para manter o tônus muscular. Evite engordar durante e após a menopausa. A manutenção do peso e boa forma física irão ajudar a mulher a sentir-se mentalmente positiva.

Terapia da reposição hormonal

Independentemente do que come, do quanto dorme ou do tipo de exercícios que faz, a mulher pode ainda ser afectada pelos sintomas da menopausa originados pela falta de estrogênio. Para muitas mulheres a terapia de reposição hormonal tem sido uma boa resposta.

Como este é um método ainda polêmico é aconselhável que a mulher procure reunir todas as informações disponíveis sobre o assunto, conversar detalhadamente com seu médico, a fim de decidir qual o tratamento mais indicado, em seu caso, para diminuir os efeitos da menopausa sobre seu organismo.

Outros efeitos da falta de estrogênio

Além dos sintomas descritos existem outros efeitos mais sutis que podem começar na mesma época. O organismo da mulher pode não sentir imediatamente os efeitos, mas a longo prazo eles podem tornar-se graves. Esses efeitos são a osteoporose e o aumento de risco de doença cardíaca.

Osteoporose

Termo médico que significa “ossos porosos” , a osteoporose é uma situação resultante da perda de massa óssea – os ossos passam a apresentar poros e enfraquecem, começando a causar dor. Tal fato aumenta o risco de fracturas ósseas, o que dificulta a vida no dia-a-dia e, pode nos casos mais graves, levar a mulher a ficar imobilidade na cama.

Uma em cada 4 mulheres sofre uma fractura decorrente da osteoporose por volta dos 60 anos. Aos 75 anos esse risco aumenta para uma em cada 2 mulheres. É importante lembrar que mais de 50% da quantidade total da perda óssea ocorre nos primeiros 7 anos da menopausa.

Aumento do risco de doença cardíaca

Antes de chegar na menopausa as mulheres têm muito menos problemas cardíacos ou de circulação sanguínea que os homens. Quando os níveis de estrogênio começam a diminuir na fase da menopausa, o risco de doença cardíaca ou circulatória aumenta consideravelmente nas mulheres.

No entanto, estudos têm demonstrado que o estrogênio ajuda a evitar alterações indesejáveis nos níveis de colesterol, uma das causas que se encontra na origem de algumas doenças cardíacas.

Às mulheres que não podem tomar estrogénios podem ser prescritos fármacos ansiolíticos, progesterona ou clonidina para reduzir o mal-estar que os afrontamentos provocam. Os anti depressivos também aliviam a depressão, a ansiedade, a irritabilidade e a insónia.

Administração de progesterona com estrogénios

A progesterona é administrada juntamente com o estrogénio para reduzir o risco de cancro do endométrio. Normalmente, o estrogénio e a progesterona tomam-se diariamente. Este esquema provoca uma hemorragia vaginal irregular durante os primeiros 2 ou 3 meses do tratamento, mas costuma desaparecer por completo no decorrer de um ano.

Alternativamente, pode fazer-se um esquema cíclico: a mulher toma estrogénio diariamente durante cerca de duas semanas, progesterona com estrogénio durante os dias seguintes e depois nenhuma hormona durante os últimos dias do mês. No entanto, este esquema é menos conveniente porque é frequente a hemorragia nos dias em que não se tomam hormonas.

A progesterona sintética apresenta-se em formas diferentes, que podem ser administradas por via oral ou intravenosa. Os efeitos secundários da progesterona incluem inchaço abdominal, mal-estar nas mamas, cefaleias, instabilidade emocional e acne. Também tem alguns efeitos adversos sobre os níveis de colesterol.

Classificação
A sua opinião
[Total: 0 Média: 0]