O Inimigo Colesterol

1663

Muito se ouve falar do colesterol nos nossos dias, mas sabe mesmo o que é? E como combater o excesso no organismo? Fique a conhecer um pouco mais sobre este composto.

Existem dois tipos de colesterol. Um é produzido pelo organismo e trata-se de um tipo de gordura, sintetizado principalmente pelo fígado e que circula no sangue, designado por ‘colesterol endógeno’, sendo um elemento importante para o organismo, uma vez que é utilizado na formação de membranas celulares, produção de hormonas sexuais, vitaminas entre outras funções. É também indispensável à produção dos sais biliares, que promovem a digestão e a absorção das gorduras. O segundo tipo é o ‘colesterol exógeno’ proveniente da ingestão de alimentos que favorecem o seu aumento e este é o principal factor de risco das doença cardiovasculares. Quando os valores do colesterol plasmático se encontram altos, tornam-se um potencial risco para a saúde.

Os níveis elevados de colesterol são reconhecidos como o factor mais importante para aproximadamente um terço das mortes dos indivíduos, de meia idade, nos países ocidentais. Uma elevada concentração de colesterol no sangue leva à sua deposição nas paredes das artérias, e consequentemente, à formação de placas gordurosas (ateroscleróticas ), que causam o endurecimento das paredes das artérias e a obstrução progressiva da circulação sanguínea.

As pessoas mais propensas a apresentar um aumento do colesterol são aquelas que ingerem alimentos ricos em gordura animal, como carne vermelha, pele de aves, leite integral e derivados, queijos amarelos e cremosos, fritos e gema de ovo. Por outro lado, os indicies elevados de colesterol podem também ficar a dever-se a alterações genéticas ou problemas como a diabetes, o hipotiroidismo, as doenças renais, do fígado e alterações hormonais na menopausa. Quando o colesterol elevado se associa a factores isolados como a hipertensão arterial, o tabagismo e a diabetes mal controlada pode causar a arteriosclerose.

Para reduzir o colesterol deve evitar o consumo das gorduras saturadas, fazer o diagnóstico e tratamento da obesidade praticar exercícios físicos regulares. No campo da alimentação deve apostar forte em margarinas ricas em gorduras polinsaturadas, evitar os bolos e doces, substituir o leite gordo por meio-gordo ou magro, eliminar as gorduras e peles da carne, utilizar azeite como tempero e usar o óleo de girassol. Na hora de escolher o prato, opte por cozidos e grelhados e evite os fritos.

 

Noutras palavras, o tratamento passa, acima de tudo, pela mudança dos hábitos e estilos de vida, e pela adopção de hábitos alimentares mais saudáveis.

Classificação
A sua opinião
[Total: 0 Média: 0]