Corrimento vaginal, conheça as causas desta infeção

5773
Corrimento vaginal
Corrimento vaginal

O corrimento vaginal é um dos problemas que mais afecta as mulheres, e uma das principais causas da ida ao ginecologista. Conheça os motivos e formas de tratamento.

Corrimento vaginal

Para quem não tem bem a percepção do que se trata, o corrimento vaginal é uma irritação ou um corrimento anormal, que pode ter um cheiro desagradável. Além deste desconforto, o corrimento vaginal pode provocar ainda ardor, comichão, ou uma vontade exagerada de ir à casa de banho.

Quais os tipos de corrimento mais comuns:

Se tem notado que o seu corrimento vaginal é muito intenso e se apresenta algumas das características que atrás referimos, a primeira medida a tomar é dirigir-se ao seu ginecologista.

O médico irá recomendar-lhe a realização de exames ginecológicos, o Papanicolau e exames de laboratório. Habitualmente as causas mais comuns para o aparecimento deste corrimento vaginal são as infecções vaginais, doenças sexualmente transmissíveis, infecções cervicais ou do colo do útero.

Candidíase ou a Monilíase Vagina

Um dos corrimentos mais comuns é a Candidíase ou a Monilíase Vaginal. Este é um dos corrimentos mais irritantes, na medida em que o seu corrimento é muito espesso de cor esbranquiçada, protagonizando muita comichão e irritação.

Esta micose aparece quando a resistência do organismo sofre algum distúrbio, ou quando a própria resistência vaginal está mais fraca do que o habitual.

Os motivos para que situações deste género ocorram são vários: antibióticos, gravidez, diabetes, infecções, deficiência imunológica e medicamentos, como é o caso de anticoncepcionais. O Papanicolau e os exames de laboratório são os indicados nesta situação.

Tricomoníase

A Tricomoníase é outro género de corrimento vaginal. Este só surge quando houve um contacto sexual com alguém que tinha este problema. O Papanicolau, exames médicos e exames de laboratório são os indicados nesta situação de corrimento vaginal. Além de si, convém que também o seu companheiro sexual seja devidamente medicado.

Vaginose Bacteriana

Porém, existe ainda um outro tipo de corrimento vaginal: a Vaginose Bacteriana. Esta tem origem numa bactéria, gardnerella vaginalis, que provoca um odor muito intenso e desagradável durante as relações sexuais e na altura da menstruação.

Os exames a fazer são os mesmos que os dos outros tipos de corrimentos vaginais que foram referidos anteriormente e, tal como na Tricomoníase, é também aconselhável que o seu parceiro seja medicado, embora não se tenha a certeza se este tipo de corrimento vaginal é sexualmente transmissível.

O tratamento indicado para si vai depender do motivo que originou o aparecimento do corrimento vaginal, mas de qualquer forma é imperativo que vá de imediato ao seu ginecologista caso detecte alguma anomalia no corrimento.

Não se esqueça que os exames ginecológicos são fundamentais para que tenha a certeza que tudo está a correr bem. Mesmo que julgue estar a 100%, às vezes, surgem problemas que até à data não se haviam ainda manifestado.

O exame Papanicolau

O Papanicolau é o exame chave para saber se está tudo bem consigo, e deve ser feito anualmente, mesmo que não tenha estado envolvida com ninguém sexualmente. Deve ser realizado, de preferência, uma semana antes da menstruação.

Atenção que, nos três dias que antecedem o exame, deve evitar ao máximo duches vaginais, ter relações sexuais e cremes vaginais.

A totalidade do exame engloba: doen, exame externo da vulva, exame para visualizar a vagina e o colo do útero, e um exame de toque vaginal.

Se constatar que tem um corrimento mais intenso e frequente, consulte de imediato o seu médico. Porém, e mesmo que não esteja a ser vítima deste problema, não deve dispensar a ida ao médico e a realização do exame Papanicolau.

Classificação
A sua opinião
[Total: 1 Média: 5]