Austrália: pioneira na produção de lã virgem

1882
Produção de lã
Produção de lã

Já pensou que caminho percorreu aquela camisola de pura lã virgem lindíssima que tem guardada no seu roupeiro.

A origem da pura lã virgem

Quando o Inverno anuncia o seu começo e o frio aperta, corremos para o roupeiro, à procura de roupa quente que nos proteja do vento gélido. Enchemos o roupeiro de luvas, casacos, camisolas e cachecóis. Todas estas peças têm uma coisa em comum: a lã.

Se pensa que a sua camisola de lã é portuguesa, pode estar enganada. O mais certo, é vir do país das ovelhas e dos cangurus: a Austrália…

No nosso país existe ainda, um número considerável de ovelhas. Muitas delas povoam as planícies douradas do Alentejo. Mas, o nosso rebanho nacional em nada se compara, com o aglomerado de ovelhas existentes nas paisagens australianas.

A Estação de Mount-Ive é um dos exemplares mais bem conceituados, da criação de ovelhas.

No coração da herdade aglomeram-se cerca de oito mil ovelhas, que têm que ser tosquiadas, no prazo de uma semana. Os homens que as tosquiam, são os chamados tosquiadores e, a sua função não é nada leve. O trabalho é árduo e duro e, implica uma grande coordenação e sabedoria.

A herdade possui no centro, algumas casas de habitação, duas oficinas, uma cozinha, várias casas de banho e cozinha, que servem diversas pessoas e, o barracão onde as ovelhas são tosquiadas uma vez por ano. Ao redor apenas se vislumbra mato e, mais mato. São à volta de 860 quilómetros quadrados, nutridos de uma terra pobre, na qual apenas os merinos, uma raça de ovelhas, se consegue manter. As restantes ovelhas, encontram o seu destino fatal.

Como é retirada a lã da ovelha

O trabalho do tosquiador, implica um método como outra profissão qualquer. Assim, o tosquiador deverá ser forte e, ter uma técnica especializada para que a tosquia seja feita mais rapidamente, mas com perfeição. Uma a uma, as ovelhas saem da porta de um pequeno curral. Seguidamente, são agarradas pelo tosquiador que as coloca em posição, para serem tosquiadas pelo pente de metal da máquina.

O pelo espesso e grosso da lã cai todo de uma só vez, sendo entregue a outro trabalhador. A tarefa de tosquiar que começou, pela lã da barriga, depois a perna, o lombo e finalmente a cabeça, não demora mais que escassos e breves minutos.

Os tosquiadores na Austrália, consideram-se bem pagos. Por vezes e, como recebem um valor considerável por cada animal. Mas, os tosquiadores, também têm despesas. A lâmina que utilizam deve ser substituída de 20 em 20 minutos, o que significa que durante um mês gastam tantas lâminas, que chegam a ter uma despesa estrondosa.

O ambiente entre os trabalhadores é muito positivo. Acabam por ser quase uma família que, caminha nomadamente de herdade para herdade. Ainda que sejam pessoas conservadoras, viram-se obrigados a acolher as máquinas que invadiram o trabalho da tosquia. Antigamente, a lã da ovelha era cortada com uma tesoura, o que muitas das vezes tornava a tosquia irregular, quando se chegava a certas zonas do corpo.

Processo de tratamento da lã de ovelha

Da extração total da lã, 65% é aproveitável, sendo posteriormente mergulhada em vários banhos de sabão para tirar a sujidade. A lã pode passar por dez banhos de detergente especial, ou apenas por cinco banhos de detergente de ácido. No primeiro caso a lã é de melhor qualidade, do que no segundo. Assim, até chegar a nós, a lã sofre várias transformações.

O que é imutável e não se transforma de certeza, é que todos os anos em Fevereiro, as ovelhas despem-se do seu pêlo para nos aquecer, quando o Inverno bater à nossa porta…

Ao comprar uma peça de roupa, pense que pode ter em seu poder um exemplar de pura lã virgem, das paisagens desertas da Austrália.

Classificação
A sua opinião
[Total: 0 Média: 0]