A evolução da moda, conheça a sua história ao longo dos tempos

5540
A evolução da moda
A evolução da moda

Já se imaginou a ir para a praia completamente coberta da cabeça aos pés? Touca, vestido curto com calções pelo joelho e sapatos?

Não se ria… Estas eram as peças de vestuário obrigatórias para quem, há algumas décadas atrás, escolhia a praia para uns dias de descontracção.

A evolução da moda

Hoje, se percorrermos os mesmos areais, a paisagem é outra: fatos-de-banho reduzidos, biquinis que mostram mais do que tapam…Uma vergonha, diriam as nossas bisavós. E as saias? Já houve um tempo em que mostrar os joelhos, ou mesmo os calcanhares, era considerado como atentado ao pudor.

Pois é, tal como tudo na vida, também o vestuário evolui. O que vestimos hoje, amanhã já não se usa.

Mas, se no passado era a sociedade a ditar as regras do jogo (comprimento das saias, tipo de decote, estilo de casaco, etc), agora é a moda que as dita. Quem não reconhece a revolução que uma mini-saia foi capaz de operar nas mentalidades mais retrógradas?

Há muito que o vestuário deixou de ser uma mera forma de nos protegermos do frio…

Ele tem mesmo um significado social: determina o grupo a que pertencemos, o nosso estatuto social e mesmo a nossa maneira de ser.

E isto não é de agora… Basta lembrarmo-nos das leis medievais que estabeleciam, para cada classe social, o tipo de vestuário e de tecidos a utilizar ou forma como os jovens se serviram do vestuário, durante os loucos anos 60, como forma de contestação contra o sistema.

Assim, se observarmos a Moda numa determinada sociedade e num determinado momento podemos, facilmente, tirar conclusões quanto aos valores e ideais vigentes. Vejamos, por exemplo, a mais recente evolução…

Nomes como Chanel, Balenciaga ou Schiaparelli dominavam a Alta Costura depois da II Guerra Mundial. Exclusividade era o seu lema. Mas, o início dos anos 70 conhece o fim deste sistema que é substituído pelos ideais da criatividade e da inovação.

Nasce, assim, uma moda acessível a todos e não só aos mais privilegiados. Como consequência desta evolução, todos os anos somos bombardeados com as últimas propostas dos criadores que nos dizem o que está e o que não está a dar.

A Moda é hoje uma indústria poderosíssima, que movimenta milhões por ano. Os jovens são os principais consumidores e grande parte da publicidade é-lhes dirigida.

E não é só a roupa que é comercializada. A ela juntam-se os cosméticos, os perfumes, os acessórios e uma infinidade de outras coisas.

Verdadeiros impérios surgem dos Estados Unidos da América e da Europa. E isto reflecte os valores da nossa sociedade: consumismo, culto da personalidade, procura do bem-estar…

Esta é uma história que vai ter continuação, não fosse a moda uma maneira do Ser Humano se exprimir. A Mulher Portuguesa vai falar, nas próximas semanas, desta mesma história, de pessoas, etiquetas ou mesmo peças de roupa que deixaram marcas para sempre e que contribuíram para que a nossa cabeça não fosse a mesma…

Classificação
A sua opinião
[Total: 1 Média: 2]