Da curiosidade ao vício: A Toxicodependência

1939
Toxicodependência
Toxicodependência

É apenas uma experiência. Curiosidade banal e nada mais, mas sem darmos por isso pode transformar-se num beco sem saída, é assim que se chega á toxicodependência.

Começa-se por um simples charro, dá-se umas passas e aquilo termina ali. Apenas se pensa que terminou porque um tempo depois, volta-se a repetir a mesma experiência até que o vício invade sem permissão alguma o corpo do ser humano.

A toxicodependência

Homens e mulheres são vítimas de uma das maiores pragas mundiais de todo o sempre, a toxicodependência. A curiosidade despertada pelo testemunho alucinante de novas experiência e sensações leva a que, muitos jovens movidos pela ingénua curiosidade, se aventurem nestas sensações de loucura.

Até esta fase inicial, todos já ouvimos falar dos malefícios da droga mas, ainda assim, as pessoas continuam a enveredar por esse caminho escuro.

Antigamente, as mulheres não eram associadas aos fenómenos de toxicodependência mas hoje em dia, este é um mal comum a indivíduos de ambos os sexos. Procura-se um motivo para esta experiência, e a primeira coisa que surge na mente das pessoas é a tão impulsiva curiosidade.

Maravilhadas com aquilo que os amigos descrevem, as pessoas acabam por experimentar e envolvem-se de tal forma, que depois não descobrem o sentido de vida anterior.

A dependência que, após a primeira experiência se verifica, pode estar ligada a problemas pessoais ou ao desejo de alterar a vida, demonstrando a sua insatisfação e refugiando-se na toxicodependência.

As pessoas tornam-se vulneráveis, fracas e de fácil manipulação, alheias ao mundo em redor e aos seres humanos que lhe são mais próximos.

Vítimas das malhas da droga, muitas mulheres roubam ou vendem o seu corpo para alcançar a quantia elevada, que todos os dias necessitam para se satisfazerem a elas próprias. A necessidade e a dependência começa a ser cada vez mais abrangente e maior, o que faz com que se distanciem do mundo real, da sua beleza externa e interna, dos seus sonhos, passado e futuro.

Conversar pode produzir efeitos, mas apenas no primeiro momento, porque depois a tentação é mais forte que o racional.

Tudo se perde. A mulher esquece qual a sua condição e potencial, fruto dos momentos que passa preenchida e sob o efeito da substância.

A situação piora ainda mais, se pensarmos na transmissão de doenças pela via sexual ou pela troca de seringas. Aliada a todo este conjunto de problemas, está também a possibilidade de se vir a verificar uma gravidez numa toxicodependente.

Á nascença, o bebé já será automaticamente um toxicodependente que, todos os dias precisa da sua dose diária para conseguir sobreviver sem dores ou mal estar.

O problema faz parte de um universo de homens e mulheres, que se aglomeram em universos dos mais variados extractos sociais, financeiros ou culturais. Normalmente, é na idade da adolescência o momento de maior perigo, mas pode ocorrer que a entrada no mundo da toxicodependência seja feita já na fase adulta.

Gastando rios de dinheiro para manterem o seu vício, os toxicodependentes limitam-se a vaguear pela vida sem nenhum objectivo ou sonho. Das carências psicológicas até às dependências físicas, o percurso é rápido e o seu regresso muitas vezes penoso ou mesmo impossível. Adopte um estilo de vida saudável e nunca dê uma oportunidade às drogas, não só por si, mas também pelos que a rodeiam.

Classificação
A sua opinião
[Total: 1 Média: 5]