Apendicite – o perigo espreita a todos

1576
Apendicite
Apendicite

Uma pequena dor de estômago não é novidade. Uma dor no abdómen também não é nada que nunca possamos dizer que não tivemos mas uma apendicite.

O que é a apendicite?

Mas são sinais de alarme se esta dor for acompanhada de vómitos e tensão muscular. Atenção: pode ser uma apendicite.

Uma dor aguda e forte do lado direito do abdómen, ou no umbigo, que se torna mais intensa quando tenta movimentar-se e que já se mantém por algumas horas? É acompanhada de náuseas, perturbações intestinais e vómitos fortes? E de suores abdominais, perda de apetite e incapacidade de libertar gases intestinais.

Dirija-se de imediato ao hospital, porque tem todos os sintomas de se tratar de uma apendicite. Quando este problema não é tratado a tempo, pode levar à morte.

Apesar de ser um problema tão grave, devido aos avanços da medicina esta doença é encarada como algo vulgar e afecta uma em cada 500 pessoas.

O apêndice pertence ao intestino delgado, e forma uma espécie de bolsa. Embora não se conheça ainda muito bem a sua utilidade e função, sabe-se que é rico em células importantes para o sistema imunitário. Está sujeito a inflamações, que se chamam apendicites.

O grande problema surge quando a doença não é tratada a tempo, o que pode provocar envenenamento do sistema e levar à morte. A inflamação pode ocorrer após uma infecção viral no tracto digestivo ou quando a ligação entre o intestino delgado e o apêndice fica obstruído por fezes bloqueadas.

Formam-se coágulos sanguíneos, infeções ou a ruptura do apêndice. A única solução é recorrer imediatamente a um médico.

A cirurgia, apendicectomia, é o único tratamento, após um exame físico, que inclui testes sanguíneos para a verificação de sinais de infecção, com uma alta contagem de glóbulos brancos, e análises à urina. Em alguns casos usam-se os ultra-sons para verificar se o apêndice se encontra inflamado.

As pessoas que são submetidas a esta intervenção continuam a fazer uma vida completamente normal, sem quaisquer alterações na sua dieta, exercícios ou em outros aspectos.

Nas crianças, os casos que ocorrem antes dos seis anos são extremamente raros, mas se o seu filho se queixar de uma dor no estômago, preste bem atenção à localização que ele aponta.

Alguns factos históricos com algum interesse relacionados com esta doença têm a ver com o medo que alguns montanhistas ou viajantes tinham, que os levava, e leva ainda hoje, a retirar o apêndice, antes de partirem em aventura. O rei Eduardo VII de Inglaterra, foi operado e a operação ficou na história da medicina porque foi então feita uma das primeiras aplicações de penicilina.

Classificação
A sua opinião
[Total: 1 Média: 5]