Anafilaxia, conheça melhor esta doença da hipersensibilidade

2001
Anafilaxia, conheça melhor esta doença da hipersensibilidade
Anafilaxia, conheça melhor esta doença da hipersensibilidade

Todas nós, a certa altura da vida, desenvolvemos um qualquer tipo de alergia. Normalmente passa ao fim de algum tempo, ou por vezes prevalece para toda a vida. A anafilaxia manifesta-se nas pessoas que são hipersensíveis a estas alergias.

O que é a Anafilaxia?

Esta situação de anafilaxia define-se como uma hipersensibilidade de um organismo contra a presença de substâncias estranhas, principalmente de proteínas, é considerado como o mais grave tipo de manifestação alérgica, e é extremamente rara.

Os sintomas normalmente aparecem alguns segundos ou minutos após a exposição à substância que causa a reacção alérgica. Noutros casos, a alergia pode demorar até 12 horas a manifestar-se.

É uma reacção aguda e acomete todo o organismo, geralmente de forma explosiva, caracterizada por prurido, erupção generalizada avermelhada, urticária, desconforto respiratório e colapso vascular. Ocasionalmente também podem estar presentes convulsões, vómitos, cólicas abdominais e incontinência.

O doente pode ter queda de tensão, seguido de tonturas e chegar a perder a consciência. As fossas nasais, boca e garganta podem ficar obstruídas.

Por vezes ocorre o edema de glote e o doente fica extremamente ansioso, com a voz estrídula e rouca, com dificuldades respiratórias. Muitos dos sintomas são os mesmos da asma.

O que é uma reacção alérgica

A reacção alérgica caracteriza-se pela libertação de histamina, uma substância química, que provoca a dilatação dos vasos sanguíneos, que começam a deixar escapar líquidos para os tecidos, produzindo inchaço.

Na anafilaxia encontra-se envolvido um anticorpo produzido pelo organismo denominado imunoglobulina do tipo E na sua forma alérgica. Como consequência, vários órgãos podem ser acometidos durante uma reacção anafilática e, dependendo da sua magnitude e do órgão afectado, normalmente a pele, o quadro clínico poderá ser mais ou menos grave.

As causas da anafilaxia são variadas e passam por variedades de alimentos como nozes, alguns tipos de frutas, peixes ou temperos. Algumas pessoas podem ter reacções alérgicas quando comem bananas, abacate, kiwi, figos ou vegetais, como batatas e tomates.

Por outro lado, os medicamentos também podem provocar esta reacção alérgica, em especial a penicilina, drogas anestésicas, infusões intravenosas e remédios injectados ou os produtos utilizados durante os exames de raio-x. A aspirina e outros analgésicos também podem produzir reacções similares.

Os medicamentos usados para doenças do coração e hipertensão, também estão entre os que podem desencadear a anafilaxia.

Muitas vezes a causa está no ambiente ou material de actividade profissional. O látex, presente na maioria das luvas de borracha, em produtos médicos e em diversos utensílios do dia a dia, podem desencadear a reacção. Muitas pessoas que têm alergia ao latéx, são precisamente as que trabalham mais em contacto com este material, como pessoal de enfermagem.

O exercício físico pode precipitar as reacções, muitas vezes quando é praticado logo após as refeições e geralmente após a ingestão de determinados alimentos.

Picadas de insectos como a abelha e a vespa, também podem desencadear a reacção. As pessoas que têm alergia a picadas, podem desmaiar, ficar com dificuldades respiratórias, erupções cutâneas e inchaço pelo corpo inteiro. Se apresentar inchaço no local da picada, provavelmente não apresentará anafilaxia, caso seja picado novamente.

O diagnóstico da anafilaxia é clínico. É necessário realizar o historial médico da pessoa, através de uma pesquisa dos possíveis agentes alérgicos, presentes no seu dia-a-dia, em casa, no trabalho e realizar um inquérito minucioso do uso e contacto com medicamentos e produtos químicos .

Caso a pessoa saiba o que desencadeia os sintomas, a tarefa ficará mais fácil, basta afastar-se dos produtos em questão. As precauções podem diminuir o risco da anafilaxia e minimizar as reacções. Para muitas pessoas, a imunoterapia pode ajudar.

Para as pessoas que apresentam reacções anafilácticas, é sugerido que tragam sempre consigo epinefrina, desenvolvida para administração própria, e o mais importante medicamento para o tratamento da anafilaxia, quando injectado na pele ou no músculo.

Este medicamento faz com que os vasos sanguíneos se contraiam, fazendo o paciente respirar melhor, aliviando as cólicas gastrointestinais, diminuindo a comichão. Outros medicamentos utilizados são os derivados de cortico-esteróides e os anti-histamínicos, que podem ser utilizados imediatamente ou de forma prolongada.

Classificação
A sua opinião
[Total: 0 Média: 0]