A importância da saúde oral nos doentes com SIDA

3629
A importância da saúde oral nos doentes com SIDA
A importância da saúde oral nos doentes com SIDA

Uma das calamidades do século! Depois de já muito se ter falado dela e das suas formas de transmissão, chegou a vez de abordarmos a importância da saúde oral nos doentes com SIDA.

A saúde oral nos doentes com SIDA

A Sida propaga-se num abrir e fechar de olhos. Esta calamidade é um problema que tem vindo a afetar o mundo inteiro e para o qual as soluções definitivas são ainda uma mera hipótese no horizonte nefasto da sua existência. Se combater o contágio da Sida exige determinadas regras, assim como inúmeras obrigações, a higiene oral dos doentes com Sida deve ser regularmente fiscalizada.

A saúde oral é um indício claro da forma como a infecção está a progredir. É na componente oral que se podem começar a registar as primeiras manifestações da doença e, mais tarde, uma vez a mesma contraída, a saúde oral é o retracto fiel de uma possível evolução da doença. Meros problemas na boca ou nos dentes podem colocar o seu corpo muito mais fragilizado e, por isso mesmo, mais susceptível de permitir o avançar da infecção.

Cuidados com a saúde oral dos doentes com Sida

Uma simples ferida na boca ou as gengivas a sangrar podem mesmo vir a ser a ponte que permite uma transmissão do vírus, embora grande parte das pessoas desconheça esta realidade ou simplesmente a ignore.

Os problemas orais em excesso ou algo de anormal, que nunca tenha verificado, pode ser uma hipótese bastante viável de que já está infectado. Aliás, na fase inicial da infecção do vírus da Sida são raras as pessoas que não demonstram problemas orais, sinónimo de que a pessoa foi infectada.

Assim, a candidose oral, leucoplasia pilosa da boca, gengivite e problemas periodontais, aftas, herpes e sarcoma de Kaposi, podem ser um sinal que algo não está bem. Analise bem os seus passos nestes últimos meses e coloque a hipótese de ter sido infectado, caso haja motivos para isso.

Não vale a pena alarmar-se se a sua vida segue os padrões normais: se usa sempre preservativo nas relações sexuais, se não esteve em contacto com o sangue de ninguém, se não sofreu nenhuma transfusão, ou se não é toxicodependente. Ainda assim, mais vale prevenir e certificar-se que está tudo bem!

A gengivite, por exemplo, sinónimo de gengivas inflamadas, é causada por bactérias proporcionadas por uma má higiene dentária. Muito comum são também os problemas periodontais cuja principal razão para o seu aparecimento está relacionada com a alteração da flora bacteriana combinada com imunossupressão. É fundamental que neste caso haja uma higiene oral bastante cuidadosa e, se possível, a intervenção de um profissional.

Os sintomas deste género de problemas periodontais são vários: dor ao mastigar ou ao lavar os dentes, sangrar depois de lavar os dentes, gengivas inchadas, moles ou mesmo vermelhas, um mau hálito, pus entre os dentes e as gengivas, gengivas afastadas dos dentes, e dentes quase a separarem-se ou com uma mobilidade acentuada.

Para evitar estes problemas, independentemente de ser ou não um doente com Sida, a higiene oral é extremamente importante. Aconselhamo-la a lavar os dentes duas vez por dia, no mínimo, e substituir também a sua escova de dentes de três em três meses, ou mesmo antes, caso note que ela já está a ficar gasta.

A escova deve ser dura q.b. e a pasta de dentes deve conter flúor. Deve usar também uma solução de lavagem bucal, tal como um fio dentário ou jacto dentário, e sempre que se registarem problemas recorra de imediato ao seu dentista. Porém, as visitas ao dentista devem ser regulares para que tenha a certeza de que não há problemas em vias de se manifestarem posteriormente.

Lavar os dentes em trinta segundos, como a maioria das pessoas faz, não é o correto. Uma lavagem de dentes que produza os seus resultados, e que os limpe realmente, deve durar entre três a cinco minutos.

Escove com cuidado, recorrendo a movimentos circulares, e faça sempre este gesto após as refeições. Se não lhe é possível escovar os dentes após ter comido, opte por bochechar com um pouco de água. O fumo do tabaco não é muito aconselhável, assim como também não o é estar a comer doces ou coisas com açúcar muitas vezes ao dia.

Todas estas indicações aplicam-se a qualquer pessoa, sem excepções, mesmo que aparentemente esteja sã. A higiene da boca e dos dentes é um dos caminhos essenciais para se atingir uma saúde oral dos doentes com Sida em pleno. Siga os nossos conselhos à regra e, se for portador da Sida, as atenções serão redobradas.

Classificação
A sua opinião
[Total: 1 Média: 5]