A fuga aos dentistas

0
1030

Quando se fala de dentistas as pessoas fogem a sete pés. Não se sabe muito bem se é por causa dos instrumentos que os médicos utilizam ou se é devido ao próprio ambiente do consultório.

Os portugueses preocupam-se bastante com o seu estado de saúde, mas existem aquelas dores que nem sempre fazem deslocar os nossos patriotas ao consultório, mesmo que o local seja mesmo ali na esquina. O problema principal são as idas aos dentistas, que nem as fortes dores e mal estar conseguem arrastar para um especialista nessa área.

Quando se tem uma dor de dentes muito intensa, resolve-se a situação com um comprimido potente ou com uma das mezinhas antigas, para aliviar a situação. Se a dor passar, o mais certo é a pessoa esquecer e deixar isso para outro dia, que nunca mais chegará. Só quando a situação chega a um estado terminal, é que a ida ao dentista é obrigatória e não há outra alternativa.

As deslocações aos dentistas não devem ser só efectuadas quando é mesmo necessário pois, tal como outras partes do corpo às quais se devem efectuar exames de rotina, também os dentes precisam ser examinados com frequência. A higiene oral, ainda que muitas das pessoas não o saibam, é muito importante para a saúde dos seus dentes e assim, conseguem-se prevenir males indesejados e dores constantes.

A higiene oral implica escovar os dentes, que infelizmente nem sempre se efectua com a devida frequência. Aliás, estudos revelaram que em outras nacionalidades como Espanha ou mesmo em Itália, as pessoas escovam os dentes mais vezes ao dia do que os portugueses. Outro factor importante na escovagem dos dentes, é mudar de escova com frequência, mudança que os portugueses não realizam com muita regularidade.

Na Europa, os dados revelam que as pessoas vão ao dentista com mais frequência que os portugueses, revelando uma maior preocupação oral. Os produtos para a higiene oral são muito variados e aqui, encontramos Portugal no topo das preferências para a mudança de produtos. Esta mudança, demonstra a necessidade que os portugueses têm de experimentar novas marcas e gamas, ainda que para a substituição de escovas não estejam muito disponíveis.

No campo da estética, os portugueses vencem qualquer outro país. Para as pessoas em geral, o aspecto exterior dos dentes é imprescindível, para concluir uma aparência atraente e agradável. Mas, ainda assim, não se preocupam muito com as idas ao dentista, mesmo a fumar e a beber café como os portugueses fazem, ameaçando o aparecimento das cáries e o aparecimento da famosa cor amarela nos dentes.

A maioria dos portugueses queixa-se de buracos nos dentes, de gengivas sensíveis, hipersensibilidade dentária, seguidos de dentes manchados e do aparecimento de tártaro. Para que estas situações não lhe surjam ou caso já as tenha verificado, desloque-se ao dentista pois a saúde dos seus dentes é tão importante, como qualquer outro orgão do seu corpo.

Se está com receio ou medo que esta consulta possa trazer dor, não se preocupe. Actualmente, existem anestesias e você não sentirá absolutamente nada, mas se for apenas por causa de um exame de rotina, verá que nem de uma anestesia vai precisar.

Classificação
A sua opinião
[Total: 0 Média: 0]