A doença do beijo, conheça melhor os perigos de um beijo

2631
Doença do beijo
Doença do beijo

Se julgue que os adolescentes são os principais afectados, o que é certo é que também muitos bebés, são contaminados pela doença do beijo.

Doença do beijo

A doença do beijo tem vindo a preocupar muitas pessoas. Ainda que se julgue que os adolescentes são os principais afectados, também muitos bebés são contaminados por esta doença. Os beijinhos afetuosos da mãe e do pai podem trazer o incómodo provocado por esta doença.

A mononucleose infecciosa ou febre glandular é conhecida por a típica e popular doença do beijo. Ainda que se pense erradamente que a sua transmissão é só através do beijo, o que acontece é que a mesma também é amplamente transmitida pela tosse, ou então pelo simples contacto com um copo ou chávena de café. Porém, não tem motivo para ficar alarmada, pois à partida a doença nada tem de ameaçador ou de dramático.

O virus Epstein-Barr

A doença do beijo é uma simples enfermidade viral, embora cause alguns transtornos e incómodo para a pessoa que a contagia. Na origem da doença do beijo está o virus Epstein-Barr, no qual se insere também o virus da herpes e aquele que origina a varicela. O virus Epstein-Barr apenas actua gravemente, caso já tenha sido afectado por outra causa muito grave, como por exemplo, se já contraiu Sida.

Por volta dos cinco anos, pode ser a idade chave para a doença do beijo actuar. Pelo menos, é nesta idade que estudos revelaram que a maioria da pessoas foram incomodadas por este vírus. Aliás, uma grande parte da população portuguesa, já teve a doença do beijo ainda que não se recorde desse acontecimento, devido à escassez da sua idade.

Um grupo vasto, mais precisamente dos 7 aos 35 anos, são os alvos preferidos para o ataque desta doença. Mas, pessoas com idade superior ou inferior a este grupo, podem também ser afectadas. Se a doença se manifestar em apenas alguns dos sintomas, é porque as pessoas já criaram os seus próprios anticorpos, estando mais protegidas a estas invasões de vírus.

Quando a doença ataca, o que se sente é um enorme cansaço e uma brutal falta de energia. As dores de garganta, nódulos no pescoço e axilas, febre, falta de apetite, dores de cabeça ou mesmo problemas na sua pele, são os indícios gerais de que a doença do beijo, já se instalou verdadeiramente em si.

As pessoas têm tendência a julgar que é apenas uma gripe, pois os sintomas são semelhantes. Caso estes sintomas passem e voltem a reaparecer mais tarde, deve consultar um médico para verificar a sua situação de saúde. Alguns problemas mais graves podem surgir: dilatação do baço ou fígado, infecção no cérebro ou coração e rompimento do baço. Estas situações constituem casos muito raros, mas deve desde já ficar alerta.

O tratamento ideal para a doença do beijo é ficar na cama, e verá que os sintomas passados dez dias desaparecem. Ficar a descansar na cama é a única solução, pois os antibióticos não produzem efeito nesta situação. Beba muita água e sumos de fruta, e gargareje com água salgada e morna, várias vezes ao dia. Ainda que só precise de estar na cama durante cerca de dez dias, só deve voltar ao trabalho após 3 semanas.

Assim, o regresso ao trabalho só deve ser efectuado quando estiver forte e sem qualquer tipo de cansaço, porque senão pode ter uma recaída. Agora que já está esclarecida, tome cuidado quando alguém a for beijar, ou quando beber água ou café de um copo ou chávena.

Classificação
A sua opinião
[Total: 0 Média: 0]