Os poderes das plantas

0
2032

Os estudos efectuados a muitas das plantas medicinais não revelaram ainda qualquer certeza quanto à sua eficácia, mas o certo é que o recurso a elas continua a ser uma realidade.

Quando o ser humano tem qualquer problema de cariz orgânico recorre de imediato a um médico, dando um sinal de confiança às descobertas e avanços da medicina. Porém, muitas são ainda as pessoas que em desespero de causa procuram o auxílio de uma ervanária. Contudo, muitas são também as pessoas que se deixam levar pelos louvores das ervanárias e que recorrem sempre às curas destas plantas, ponde parte a medicina convencional.

Independentemente de qual a sua preferência, é preciso ter em conta que a mistura de medicamentos com plantas medicinais não é muito saudável para os seres humanos. Por isso, opte apenas pelos medicamentos ou pelas plantas. Embora haja já muitas plantas que foram submetidas a testes para ver até que ponto as suas propriedades são eficazes, muitas delas continuam ainda na ignorância dos especialistas desta área. Sabe-se que têm qualidades, mas não se pode confirmar até que ponto as mesmas não causam efeitos secundários ou quais são as propriedades que permitem encontrar a cura para cada problema.

Cada planta tem características particulares, sendo impossível encontrar uma planta que alivie ou que cure todos os problemas que possam surgir no ser humano.

O Alho é uma delas. O Alho é dado como uma planta muito eficaz para combater a arterosclerose e reduzir o colesterol. Não se conhecendo efeitos secundários, há no entanto muitas pessoas que discordam das suas capacidades: uns afirmam que é realmente bom para manter a memória e diminuir o colesterol, mas outros há que negam totalmente esta influência.

O Gingko Bilola diz-se ter um excelente efeito terapêutico para melhorar a memória, permitindo que as pessoas não sofram os problemas de memória aos quais quase todos estão sujeitos com o avançar da idade. Todavia, o Gingko Bilola precisa de mais investigações quanto às suas funções, embora muitos afirmem que a melhoria da memória é de facto notável.

A Milfurada, outra planta medicinal, diz-se ser muito boa para as alterações de humor. Para alguns, a Milfurada é muito boa para as depressões ainda que a toma ideal seja ainda uma incógnita, bem como qual o momento mais eficiente para ser tomada. A Milfurada pode ainda contribuir para algumas reacções secundárias quando misturada com outros medicamentos. Por isso se aconselha que a mesma só seja tomada com a autorização do seu médico.

A Castanha da Índia é popularmente conhecida pelas boas condições que promove para uma circulação activa mais eficiente. Mas, e na realidade, a Castanha da Índia parece proporcionar um bom funcionamento das veias, embora não se conheçam mais atributos a ela. Porém, se há uma planta com propriedades terapêuticas comprovadas, essa planta denomina-se por Sene. Indicada para um melhoramento dos intestinos, a verdade é que esta planta possui capacidades laxantes comprovadas. O uso frequente da mesma não é bom para a saúde, e mesmo quando tomada ocasionalmente pode provocar cãibras.

O Gengibre é outras das tais plantas sobre qual muitos falam, mas que ninguém tem certezas de nada. Uns declaram que é válida para as náuseas e problemas digestivos, embora outros digam que possui apenas um escasso efeito nas náuseas.

Para prevenir constipações, ou para travá-las, nada melhor do que a Equinácia, segundo a tradição popular. Contudo, muitos referem que na prevenção de doenças ou problemas específicos, a Equinácia não tem qualquer acção e que, quanto muito, pode ser indicada para remover constipações. Ainda assim, aconselha-se as grávidas a não a tomarem, bem como as pessoas com tuberculose ou esclerose múltipla.

Estas são apenas algumas das plantas medicinais de um leque muito vasto. Os estudos realizados com as mesmas é ainda muito escasso, e raras são aquelas para as quais se pode ter a certeza da sua acção, propriedades terapêuticas e efeitos secundários. Porém, pode sempre tentar para ver qual o efeito que elas produzem em si.

Cuidado com as contra-indicações e efeitos secundários, informe-se antes do seu consumo e não faça das planta medicinais um hábito.

O mais perigoso, e que convém nunca esquecer, é que não deve misturar medicamentos com plantas medicinais. Só opte por um quando já tiver deixado o outro, e nunca prescinda da opinião de um médico!

Classificação
A sua opinião
[Total: 1 Média: 1]