A base de um relacionamento é a comunicação entre o casal

0
1827
A base de um relacionamento é a comunicação entre o casal
A base de um relacionamento é a comunicação entre o casal

Numa briga entre o casal, depressa as coisas descambam em discussão se nenhuma das partes estiver disposta a fomentar uma boa comunicação entre o casal  e ouvir a outra parte.

Uma boa comunicação entre o casal

No caminho para resolver os conflitos, ouvir é a chave para uma boa comunicação entre o casal. É por isso que o ouvir é o que menos acontece durante uma discussão, ou é a causa mais frequente das queixas; “Tu nunca ouves o que eu digo!”.

Num conflito, a discussão sai de controlo e nenhuma resolução aparece. Isto apenas a deixa a si e ao seu companheiro com mais raiva e com um desejo maior de para a próxima conseguir dizer coisas ainda mais incisivas, em vez de iniciar uma conversa construtiva.

Quando reage a algo que foi dito com “quatro pedras nas mãos” é mais que óbvio que ele vai reagir elevando as suas defesas, em vez de se preparar para ouvir o que tem a dizer. Como ele não está a ouvi-la, há que aumentar o volume, na tentativa de lhe retirar a cera dos ouvidos. Mas quanto mais alto grita, menos ele ouve.

Em vez disso, ergue as barreiras de defesa e contra-ataca. Isto enfurece-a ainda mais, aumenta mais o volume, e ele torna-se mais defensivo, aumenta o confronto. Em menos de nada, entra no círculo vicioso.

Como é que podem libertar-se deste ciclo? Aprendam a ouvir-se um ao outro, e a eliminar os três comportamentos que se opõem aos bons ouvintes: auto-defesa, justificação para tudo e contra-ataque. Reconhecendo estes comportamentos, pode evitá-los mais facilmente.

Mas porque é que muitos casais optam por estes três comportamentos em vez de apenas ouvir a outra parte? Numa relação conturbada, o factor ouvir é tão pouco cultivado que ambas as partes sentem a necessidade de serem ouvidas. Não confiam que o outro vá ouvir, ambos gritam ao mesmo tempo, empurrando os seus argumentos nos ouvidos do companheiro.

Ouvir é o cimento de um casamento feliz.

Para evitar o divórcio, é necessário jurar a si mesma mover céu e terra para realizar um bom trabalho a ouvir o parceiro.

E para isso é necessário aprender a ouvir. Pode fazer turnos com o seu companheiro, entre serem ouvintes ou falantes.

Da próxima vez que um conflito for despoletado, deixe que quem estiver nessa altura com o “facho” de falar exprima os seus sentimentos primeiro. Não se preocupe, porque o ouvinte vai ter a sua vez para falar. Quando o falante se sentir completamente ouvido e percebido, é altura para mudar de postos.

Ser um bom ouvinte, no entanto, é mais do que passar o teste de audição. Se o ouvinte se limita a manter-se calmo e nada diz em resposta, o falante irá pensar que está a falar com uma pedra. Os bons ouvintes dão a entender que estão a ouvir e a seguir as palavras do outro.

Para se tornarem bons ouvintes, ambos os membros do casal devem ter em atenção as seguintes regras:

  1. Repetir – o ouvinte deve ir repetindo o que o outro diz, mas de forma a que não pareça uma imitação feita por um papagaio;
  2. Refazer – após ouvir e repetir, o ouvinte deve refazer as frases, de forma a que o parceiro compreenda que ele as percebeu;
  3. Questionar para clarificar – colocar questões (nunca em forma de desafios) para que fique claro o que está a ser dito.

Parece algo confuso mas verá que deste exercício pode sair uma conversa calma que vai ajudá-los a ambos a colocarem as suas ideias e os seus sentimentos na mesa.

Uma palavra de aviso: o ouvinte não deve fazer nunca juízos de valor acerca do que o orador está a dizer, mesmo que não concorde.

Porque é que ele parece nunca ouvir nada?

Algumas vezes o homem falha a sua atenção porque simplesmente não consegue entender o que a companheira sente acerca de determinada situação. Para evitar essa situação e para os colocar na mesma onda, siga com o seu companheiro o seguinte exercício:

Esqueça a situação em particular que provocou esse atrito e que está a preocupar o outro e concentrem-se nos sentimentos que ele está a sentir. Agora, pense numa situação que despoletou sentimentos parecidos em si. Quando sentimos o mesmo que o nosso parceiro, vai ver que é mais fácil identificar com eles e ouvir o que ele sente.

A resposta dele, face aos seus problemas, vai ser um “não te preocupes com isso” ou “não precisas de te sentir assim”. O pior é que estas respostas só servem para enfurece-la ainda mais, embora esta seja a única forma que ele encontra para se defender.

Para evitar que comece logo ali uma discussão e para o levar a sentir que é necessário ouvir o que tem para lhe dizer, tente a seguinte frase: “Sei que estás a tentar fazer-me sentir melhor, mas ser ouvida é tudo aquilo de que preciso neste momento”.

Veja o que acontece depois. Se ele ainda continuar alheado, coloque-o perante a seguinte situação hipotética: “Se tropeçares no meu pé e o partires, o meu pé vai doer-me e vou precisar de ser consolada. Sei que não o fizeste de propósito, mas ainda assim vou precisar que compreendas a minha dor”.

A base de um relacionamento é a comunicação entre o casal. É preciso ouvir para exigir do outro ser ouvido. Mas para isso é necessário também dizer as coisas de forma a que o companheiro as queira ouvir.

Uma dica: experimente tomar atenção aos noticiários, e veja como a sua atenção pode ser despertada apenas com uma palavra. Tente o mesmo com o seu companheiro, despertando-lhe o interesse. “Sabes o que me aconteceu hoje” já está muito gasto. A base de uma boa comunicação entre o casal pode partir de si.

Quarta Lição: A lembrar: Deus deu-nos duas orelhas e uma boca, de forma a ouvirmos mais e falarmos menos.

Conheça as outras lições para terminar de vez com as discussões em casa:

Classificação
A sua opinião
[Total: 1 Média: 5]