Pequenas críticas, não deixe que afetem a sua autoconfiança

0
3733
Pequenas críticas, não deixe que afetem a sua autoconfiança
Pequenas críticas, não deixe que afetem a sua autoconfiança

São remoques ou pequenas frases ditas, por vezes mesmo sem maldade, mas suficientes para nos deixarem a autoconfiança de rastos. Apresentamos-lhe as críticas.

Está a preparar-se para aquele entrevista ou reunião com a qual se tem preocupado durante dias e estudou ao pormenor a roupa e até o perfume a usar e de repente alguém diz: ‘Não acho que essas calças te favoreçam’. E lá se vai todo o trabalho por água abaixo.

As críticas chegam-nos de todo o lado

Todas nós já recebemos alguma crítica em determinada época da nossa vida. Não falando já das provocadas pelo choque de gerações entre pais e filhos, de certo que no emprego ou na escola já ouviu uma afirmação negativa em relação ao seu trabalho ou até à sua aparência.

Mas o que fazer quando essas críticas partem de alguém próximo de nós e visa essencialmente o que mais frágil temos: a nossa auto-estima? E se essas frases partem de alguém da nossa confiança, então as coisas complicam-se mesmo.

Em primeiro lugar é necessário analisar o autor da frase:

É a sua mãe, algum irmão ou irmã ou o seu companheiro? Se se tratar da sua mãe, lembre-se de que as formas de pensar podem ser diametralmente opostas às suas e que os pontos de vista dela não são iguais aos seus critérios. No caso de se tratar de um irmão, ele pode estar apenas a ‘entrar’ consigo e diria o mesmo se fosse em fato de executiva ou mascarada de abóbora ao passo que uma irmã pode mesmo querer ajudá-la.

Quando surgem do próprio companheiro

No entanto, no caso de se tratar do seu companheiro, tudo muda de figura.

Analise o padrão de críticas:

Ele faz sempre isto ou apenas esporadicamente? Critica continuamente os seus cozinhados, o seu peso, os seus gostos? Então pode estar face a um homem com problemas com a sua própria autoconfiança. Uma das formas de um homem se sentir todo poderoso é rebaixando a companheira, atacando-a pelas áreas mais frágeis, e acredite que eles são peritos em descobrir o que guarda de mais secreto para si neste campo.

Outro aspecto é o receio que ele pode ter de determinados aspectos em si, usando para tal o sarcasmo como forma de eliminar essas características. Frases do género: ‘Andas a ler livros eróticos?’ quando preparou para ele uma performance especial pode apenas significar que ele ficou intimidado com esse comportamento e se defende por detrás de um escudo de desprezo.

Criticas que atacam a sexualidade ou a personalidade

E se os pequenos remoques podem ferir à superfície, muito mais graves são as críticas que atacam a sexualidade ou a personalidade de cada um, demasiado destrutivas para serem toleradas. Apesar de falarmos apenas aqui nos companheiros masculinos, este tipo de situações também acontece inversamente, com as mulheres a criticarem constantemente a performance dos maridos no campo da sexualidade ou do trabalho, devido também à falta de segurança que apresentam face ao sucesso do esposo ou ao medo de serem trocadas por outra mulher.

Quando têm origem nos próprios pais

As críticas que partem dos pais têm igualmente vários pressupostos. Um pai ou mãe pode criticar um filho adulto por ter receio quanto à sua independência, inveja pela posição ou felicidade alcançada ou mesmo por temerem ser esquecidos e postos de lado. Demasiado ligados aos seus papéis de pais, tentam controlar os filhos através das críticas.

Quando elas vêm dos amigos

E não pense que os amigos estão fora deste esquema.

Uma amiga insegura pode criticá-la de uma forma de que nem mesmo você se apercebe, mas lentamente vai fazendo mossa. Mas como pôr fim a este tipo de situação?

Algumas pessoas acham mais prático adoptar uma posição de vítima face às críticas e deixar andar. Nada de mais errado. Estas não vão acabar por isso, antes pelo contrário, vai estar a dar ainda mais razão para que elas tenham lugar.

Lembre-se de que para este tipo de dinâmica, são sempre necessárias duas pessoas. Quando não se responde, pode acontecer que sinta que é verdade mesmo não sendo.

O melhor é pensar sempre de forma positiva

A partir do momento que compreenda que essas críticas são apenas uma necessidade da outra pessoa ditadas pela insegurança, fica imediatamente mais forte e por vezes basta apenas que proclame a sua liberdade, dizendo ao acusador ‘Mereço ser melhor tratada do que isto!’. Noutros casos precisará de mais alguma coisa como uma conversa franca sobre o assunto onde se apresente confiante e dizendo directamente que ficou magoada com o comentário.

E recordando o exemplo que apresentámos atrás, pergunte depois o que levou a esse comentário, em especial quando mais necessitava de apoio, questionando de forma positiva e perguntando-lhe o que está a correr mal para descarregar o mau-humor em si, mas sem o colocar na defensiva.

Quebrar o padrão de crítica nem sempre é tarefa fácil mas vale sempre a pena tentar, além de que vai fazer maravilhas pelo seu ego.

Classificação
A sua opinião
[Total: 1 Média: 5]