Um Perigo chamado Malária

2018
Malária
Malária

Partir para um destino tropical é o sonho de muitas pessoas, mas nestes locais há cuidados a ter face a doenças características destas zonas. A Malária é uma das mais perigosas!

Quantas pessoas já não sonharam ir para um destino tropical, daqueles onde é só praia e temperaturas agradáveis durante o ano inteiro? Felizes daqueles que já passaram por esta experiência, em tudo paradisíaca e parabéns aqueles que nesta férias vão ter esta oportunidade. Porém, existem cuidados preventivos relativamente ao contágio de doenças características destas zonas como o Dengue, a Febre Tifóide ou a tão temida Malária.

Desde a antiguidade que a Malária existe. Nessa época, as pessoas acreditavam que a sua transmissão era realizada através do pântanos, mais propriamente pelas emanações e miasmas oriundos desses locais. Só em 1880 o médico Charles Alphonse Laveran daria a conhecer os parasitas de onde a Malária provinha, e só sete anos depois é que Ronald Ross, outro médico, descobriria o circuito de transmissão da doença através do mosquito. Hoje, a Malária é sobejamente conhecida por ser um perigo para o ser humano! Por isso fique atento, e saiba a partir deste artigo um pouco mais sobre a Malária, formas de transmissão e os cuidados a ter.

A Malária é uma doença infecciosa, potencialmente grave, causada por parasitas (protozoários do género Plasmodium), transmitidos através da picada de mosquitos (Anopheles). O perigo é que cerca de 40% da população mundial vive em áreas com risco de transmissão de Malária, resultando em cerca de 300 milhões de pessoas infectadas no mundo a cada ano. A transmissão ocorre em países da América Central, América do Sul, América do Norte (México), África, na zona do Saara, Índia, do Sudeste da Ásia, Oriente Médio, e Oceânia.

Todavia, é nos países africanos que ocorrem mais de 90% dos casos, seguidos de determinadas zonas do Brasil. A situação da malária parece estar a piorar drasticamente de dia a dia, e as soluções imediatas não parecem existir. O risco de Malária depende da zona, pois há zonas mais propensas que outras ao seu contágio, do itinerário, e da duração da viagem. Pelo facto de não existir um remédio infalível, e 100% eficaz para a prevenção da Malária, é necessário estar o mais protegido possível. Assim, o turista deve estar informado sobre os riscos da doença, do que se trata propriamente, das formas de contágio, e das medidas de prevenção.

Importa salientar que a Febre Amarela ou o Dengue, entre outras doenças de climas tropicais, registam-se, praticamente, nas mesmas zonas onde a malária tem uma maior possibilidade de se manifestar. Ocorrendo a sua transmissão ao ar livre ou num espaço fechado, a Malária, conhecida também por paludismo, tem feito vítimas um pouco pelo mundo inteiro, quer nos estejamos a referir a residentes desses mesmo locais, ou a meros turistas que optam por irem passear e descansar até esses locais. O importante é estar informado, pois uma simples febre pode ser muito mais do que isso e, desse modo, bem mais fatal!

Portanto, é aconselhável a pessoa andar sempre com calças e camisas de manga comprida, e repelentes contra insectos nas roupas e no corpo. Deixe o mínimo de pele ao ar livre para evitar a picada de insectos portadores de doenças! Hospede-se, preferencialmente, em locais que possuam ar condicionado, com telas protectoras, para impedir a entrada dos mosquitos. A utilização de medicamentos profiláticos pode ser uma opção, mas relativamente a este aspecto só o médico a poderá aconselhar correctamente. Ainda assim, e infelizmente, mesmo com todos os cuidados o risco de contrair malária não é nulo.

Sempre que começar a sentir febre, após ter estado numa zona de risco, onde havia a possibilidade de ser contagiado, dirija-se de imediato a um posto médico! Além da possibilidade de ser Malária, há ainda a hipótese de ser Febre Tifóide ou mesmo Dengue. As manifestações da malária são imprevisíveis: podem ocorrer passados dias da contaminação, entre 10 a 40 dias, como podem suceder passados meses, ou até anos, de ter estado num local de risco. Febre, sensação de mal estar, dor de cabeça, dor nos músculos, cansaço e calafrios são os primeiros sintomas, e é por esse motivo que de início a Malária pode ser associada a uma simples gripe. Daí que, muitas vezes, as pessoas nem liguem! Contudo, quanto mais cedo agir no combate da mesma, melhor será para si!

A Malária deve ser diagnosticada logo numa fase inicial para que o tratamento surta efeito, pois caso isso não aconteça a gravidade da situação é tal que pode ser fatal. Fique pois bem ciente dos cuidados que deve ter: antes de partir para aquele destino de sonho, vacine-se contra a hepatite A, febre tifóide e poliomielite. Antes de mexer em alimentos lave muito bem as mãos, com água e sabão; antes de beber o que quer que seja, em garrafas ou latas, lave muito bem o recipiente. De preferência, coloque o líquido para um copo limpo ou recorra a uma palhinha. Coma alimentos cozidos ou fervidos, apenas na hora em que acabaram de ser feitos e nunca depois; utilize água mineral gasosa engarrafada industrialmente, pois existe um risco menor de contrair doenças.

Opte sempre por rejeitar alimentos mal cozidos à base de ovos, como molhos, sumos tropicais, gelados, ou qualquer outra sobremesa que contenha ovo; não consuma legumes e frutas que não estejam descascados; não consuma nada que provenha de vendas ambulantes; utilize somente água mineral, ou devidamente tratada, para lavar os dentes e restante higiene pessoal.

Estes são os cuidados base que deve ter quando for para um país de clima tropical, onde a facilidade de transmissão de doenças é muito maior e está mais facilitada. Nunca, em hipótese alguma, se esqueça do repelente! Hoje em dia, existe uma grande variedade de repelentes, sem aquele cheiro forte e intenso de outros tempos, por isso não tem qualquer desculpa! Não retirando a gravidade das restantes doenças de climas tropicais, a Malária, ou paludismo, é aquela que mais possibilidade tem de transmissão e os números de casos fatais atingem valores preocupantes.

Vá de férias, conheça novas culturas e locais, mas sempre ciente dos riscos que pode correr!

Classificação
A sua opinião
[Total: 0 Média: 0]