Osteoporose: Conheça melhor esta doença

2815
Osteoporose: Conheça melhor esta doença
Osteoporose: Conheça melhor esta doença

Existem doenças muito graves, umas mais evitáveis que outras, mas todos elas proporcionam preocupação e cuidados. Aliás, antes de as mesmas surgirem, as pessoas já se deviam preocupar com o seu aparecimento e prevenirem-se das mesmas, um destes casos é a osteoporose.

Porém, o cenário não apresenta estas componentes. Um fatia considerável da população, representa as vítimas da perda de massa óssea, com uma gravidade em maior ou menor escala. A esta doença, que tanta gente atinge, deu-se o nome de: Osteoporose.

Osteoporose

Nas mulheres esta doença costuma dar os seus sinais de vida, na fase da menopausa e nos homens, só aos 80 anos. Mas, a perda óssea nas mulheres, começa alguns anos antes, por volta dos 35 anos. Após 4 a 5 anos, ao fim da menstruação, as mulheres começam a perder de 2 a 4% da massa óssea, e os homens só aos 45 anos é que começam a perder, apenas 0,5% ao ano.

Os tipos de osteoporose, são: o tipo I, na fase da pós menopausa e afecta fracturas, principalmente o rádio e os ossos; o tipo II, já senil, manifesta-se na factura do colo do fémur, em pessoas com idade superior a 60 anos. Por volta dos 70 anos, as facturas vertebrais do corpo, surgem em cerca de 25 % das mulheres.

Toda a componente da massa óssea, depende de factores genéticos, nutricionais, hormonais e ambientais. O fraco consumo de vitamina D, origina uma fraca absorção de cálcio, que deverá ser fundamental nos primeiros 20 anos de vida. É nestes anos que se atinge a massa óssea máxima, que depois virá tendencialmente a diminuir com o avanço da idade.

Os exercícios físicos são também muito importantes para o desenvolvimento da massa óssea. Ao longo da vida, as mulheres vão-se desligando da sua aparência. Daí, que actividade física seja esquecida, levando à diminuição progressiva da massa óssea.

Os homens têm sempre tendência para andarem de um lado para o outro, fazendo com que a sua massa óssea não diminua substancialmente, dando-se o seu enfraquecimento, apenas mais tarde.

A osteoporose pode ser medicada, a partir da calcitonina, do fluoreto de sódio, dos bifosfonatos, dependendo do tipo de osteoporose de que se trata.

Os exercícios físicos estimulam o aumento da massa óssea, embora ainda não se saiba qual o seu verdadeiro contributo. A contracção muscular e a tensão dada pelo suporte de cargas, são factores muito importantes.

A própria natação produz uma massa óssea, acima da média, tal como o “jogging” e as caminhadas. Mas, os mais altos níveis de densidade óssea, inscrevem-se nos levantadores de peso. Os exercícios aumentam os níveis de hormonas sexuais, proporcionais à sua intensidade.

Portanto, é evidente que os exercícios com pesos, são aqueles que mais possibilitam um desenvolvimento da massa óssea, assim como aumentam a força e massa dos músculos esqueléticos. A flexibilidade e a coordenação da massa óssea, tornam-se privilegiadas, neste tipo de exercícios.

Assim, a importância dos exercícios físicos é extremamente ampla, tanto para a profilaxia, como para o seu tratamento. Desde muito cedo, ainda na infância, deve-se começar a praticar exercício físico, de forma a desenvolver a massa óssea ao máximo, para que mais tarde os problemas não nos batam à porta.

Os exercícios ligados ao suporte de cargas e às contrações musculares, são os mais eficientes. Mas, tenha em atenção que os mais propícios e seguros, são os de peso. Previna-se quanto antes da osteoporose, pois a massa óssea é, sem dúvida, o suporte de todo o corpo.

Classificação
A sua opinião
[Total: 1 Média: 5]