Os Perigos de um Acidente Vascular Cerebral

936

Mentalize-se que os acidentes vasculares cerebrais são evitáveis, quando tomadas algumas precauções.

Agir pouco tempo depois do ocorrido é o ideal, embora prevenir seja mesmo o melhor remédio.

Conhecido simplesmente por AVC, o Acidente Vascular Cerebral é, sucintamente, a falta de passagem de sangue oxigenado numa determinada zona do cérebro. Para que as células cerebrais desempenhem o seu papel correctamente é necessário haver uma adição frequente de oxigénio e glicose fornecidos pela corrente sanguínea. Só assim as funções normais das células estão garantidas. Esta normalidade acaba por não se registar quando ocorre um derrame, afectando este último as funções neurológicas do indivíduo.

A ideia de que o derrame cerebral ocorre apenas em pessoas idosas é totalmente errada. A verdade é que os acidentes vasculares podem ter como vítimas crianças, jovens, adultos ou idosos, embora haja, de facto, uma maior incidência em pessoas mais idosas, o que também não deixa totalmente à vontade os mais novos. Os derrames cerebrais apresentam sintomas específicos, embora por vezes surjam sem qualquer manifestação anterior. O mínimo sinal pode ir progredindo aos poucos, com o passar das horas, mas as pessoas devem estar devidamente informadas relativamente ao assunto.

Um dos quadros que dá o alerta para um derrame cerebral pode ter exactamente a mesma evolução que o seguinte: a pessoa começa a ter tonturas pela manhã, horas depois surge uma pequena perda de visão, posteriormente a dificuldade em falar, para algum tempo depois acontecer a paralisia de uma das zonas do corpo. Assim, convém ficar alerta sempre que sentir dificuldades em falar, ou caso sinta diferenças na vista: a vista começa a ficar turva, de repente vê as coisas duplicar, perde a visão, ou a sensação de que está a vislumbrar uma sombra no seu campo de visão. As dores de cabeça muito fortes, a falta de coordenação de zonas do seu corpo, ou súbitas vertigens são outros dos sintomas.

Todos estes indícios podem ocorrer em conjunto, ou apenas alguns deles, mas a partir do momento em que surja um deles é natural que a intensidade dos restantes sintomas seja cada vez maior. De salientar que os homens correm um maior risco de acidentes vasculares cerebrais, mas é necessário ter também em conta o histórico da família. Assim, e caso haja algum episódio destes na sua família, é natural que as probabilidades sejam mais elevadas. Há ainda a ter em conta o facto da pessoa ter outros problemas que poderão aumentar a probabilidades de ocorrência de um acidente vascular cerebral, como é o caso de pessoas com hipertensão, obesidade ou diabetes.

Logicamente que uma alimentação saudável e a prática de exercício físico são os pilares que melhor previnem a ocorrência de derrames cerebrais. Todavia, existem ainda muitas mais coisas que devem ser feitas para prevenir mais facilmente uma situação como esta: não deve fumar, não abusar das bebidas alcoólicas, visitar regularmente o médico para analisar a sua saúde em geral, e procurar logo um médico assim que sentir qualquer um dos sintomas atrás referidos. A aspirina é considerada útil para quando sente um dos sintomas, mas convém nunca esquecer-se que esse sintoma pode ser um sinal de alarme para um derrame futuro, no qual a aspirina pode já não fazer efeito.

O que acontece é que, muitas vezes, a existência de um pequeno derrame é um sinal de que um acidente vascular cerebral grave pode vir a registar-se a qualquer momento. Assim, o corpo dá o primeiro alerta, um primeiro aviso, para que horas, dias, ou semanas depois, se venha a registar algo mais grave. Todavia, há quem tenha muitos pequenos derrames e nunca tenha sofrido um acidente vascular cerebral, assim como há pessoas que não tiveram qualquer tipo de aviso prévio.

Aconselha-se com o seu médico, e conte-lhe o que sentiu, de forma pormenorizada, para que lhe sejam dados os melhores conselhos. Medique-se correctamente e, por si mesmo, tenha em conta tudo o que o médico lhe recomenda, não fugindo a qualquer um dos seus conselhos. Há muitos sintomas que pode sentir no seu corpo e que se tratam de pequenos avisos em relação a derrames. O problema é que as pessoas não ligam, e não têm qualquer conhecimento de que forma é que determinadas situações podem estar relacionadas com acidentes vasculares cerebrais.

Informe-se, primeiro que tudo, pois é dessa informação que provêm todos os seus cuidados. Só assim estará realmente prevenida!

 

 

Classificação
A sua opinião
[Total: 0 Média: 0]