Método Ideal para a Hepatite C

1493
Vírus da hepatite C
Vírus da hepatite C

A associação de Pegintron (peginterferão alfa 2-b) e Rebetol (ribavirina) provou ser o tratamento mais eficaz para a Hepatite C. Conheça melhor as mais recentes descobertas.

Hepatite C

Estas conclusões são bastante mais significativas e eficazes que o actual padrão internacional de tratamento, composto por IntronA® (interferão alfa 2-b) e ribavirina.

O efeito terapêutico sinérgico de IntronA® + Rebetol® conduziu a uma erradicação virológica sustentada em aproximadamente 29% a 65% dos doentes tratados. Ainda assim, alguns doentes não apresentaram qualquer resposta virológica, nem recidivam após o tratamento.

Esta falta de reação pode, entre outros motivos, estar relacionada com a sua semi-vida relativamente curta, já que requer um esquema de dosagem de três vezes por semana. Esta dosagem proporciona flutuações na concentração plasmática ao longo da terapêutica, em resultado da sua depuração rápida na corrente sanguínea.

Os avanços na fórmula de interferão peguilado alfa 2-b, do qual resulta o Pegintron®, permitiu estabilizar este problema, já que apresenta uma taxa de depuração muito mais reduzida, prolongando assim a sua semi-vida plasmática.

Consequentemente, Pegintron® é administrado numa única dosagem semanal, aumentando a aderência do doente ao tratamento. Desta forma, a eficácia do tratamento está aumentada em larga escala.

Segundo o Observatório Europeu da Droga e Droga, Portugal é um dos países europeus que apresenta taxas de contaminação com Hepatite C mais elevadas da Europa, com cerca de 60 a 80% dos toxicodependentes a serem vítimas desta doença.

Os toxicodependentes são, por esse motivo, o principal grupo de risco. Daí que a importância deste avanço seja ainda mais notável.

Pegintron® proporciona o nível mais elevado de actividade antiviral e segurança numa formulação de administração semanal, diminuindo os riscos associados a uma depuração prolongada do fármaco.

Os ensaios clínicos realizados com Pegintron® em monoterapia, ou em combinação terapêutica com Rebetol®, demonstraram que a dosagem de ambos os componentes da combinação terapêutica com base no peso corporal do doente proporciona uma eficácia superior, quando comparada a regimes de dose fixa.

A Hepatite C é uma doença que evolui sem que o indivíduo dê conta, sendo por isso muito mais difícil ser tratável numa fase inicial. Os sintomas surgem anos depois, altura em que a doença já está mais que instalada.

A Hepatite C é a principal causa de doença hepática crónica e de transplante hepático nos Estados Unidos e na Europa, o que obriga a cuidados redobrados e a encontrar soluções rápidas e eficazes para o seu tratamento.

Classificação
A sua opinião
[Total: 1 Média: 5]