Dia Nacional do Doente Coronário

2938
Doenças do coração
Doenças do coração

O número de pessoas com problemas de coração aumenta drasticamente de dia para dia. O limitado nível de sangue para o miocárdio faz com que o oxigénio exigido pelo coração seja inferior ao normal.

Para esclarecer de vez esta questão e deixar todos bem informados, um doente coronário é aquele cuja circulação coronária não é suficiente quando a pessoa tem que realizar um maior esforço físico. O coração não acompanha o esforço, seguindo-se a típica e popular dor no peito.

Assim, sempre que tiver que realizar uma actividade física mais intensa, o doente coronário sente mais dificuldade do que qualquer outra pessoa porque o sangue flui com menos incidência, condicionando, por esse mesmo motivo, uma diminuição de oxigénio.

As artérias coronárias fornecem menos oxigénio e o coração tem uma maior dificuldade em realizar funções com características físicas mais exigentes. A dor que surge posteriormente denomina-se por isquemia miocárdia, e é caracterizada por uma sensação de dor muito forte no peito sempre que o coração não tem força suficiente para fornecer sangue, ou seja, quando o coração necessita de mais oxigénio do que aquele que lhe é fornecido.

Essa dor de que falámos anteriormente é uma dor dolorosa, com uma intensidade variável, e que se propaga durante alguns minutos para o pescoço, costas, mandíbula, ombros e membros superiores. Estes sintomas são aqueles que acompanham a angina de peito, típica dos doentes coronários, e que ocorre também paralelamente a suores frios e palidez.

Sempre que o doente sente estes sintomas, que podem apenas ser consequência de um esforço físico e não propriamente de uma crise coronária, a pessoa fica alarmada piorando ainda mais a situação. Como o esforço físico em demasia pode causar-lhes dores alarmantes, os doentes coronários têm tendência a não sair muito de casa e a estarem acomodados sem andarem ou realizar qualquer exercício físico. Julgam que o cansaço que sentem ao caminhar ou ao correr um pouco é logo sinónimo de enfarte, quando na realidade não é nada disso.

Quanto mais tempo estiver inactivo, sem sequer caminhar um pouco, pior vai ser para o doente coronário pois aí podem surgir outros problemas, como a obesidade. Convém caminhar ou até mesmo correr um pouco, sem exageros, porque o problema aqui é o excesso de esforço físico e não o exercício físico em si mesmo. Por isso, e neste Dia Nacional do Doente Coronário será produtivo fazer uma reflexão sobre esta questão.

Não adianta viver amedrontado com o problema de coração. O importante é seguir os conselhos do seu médico, e não cometer qualquer tipo de exageros, levando uma vida a mais moderada possível a todos os níveis. Logo, é fundamental que o doente coronário saiba tudo acerca da sua doença, dos riscos que corre e de como deve gerir a sua vida.

Não há necessidade de idas frequentes ao médico, embora deva tomar a medicação aconselhada. Qualquer alteração, não hesite recorrer ao médico, embora não deva logo alarmar-se. Ter uma angina de peito não significa que vai morrer, mas sim que tem que ter alguns cuidados. Verificam-se casos de pessoas com doenças coronárias que viveram uma vida inteira, sem problemas de maior, mas respeitando as indicações médicas.

Não é positivo ficar logo com a ideia de que vai morrer e que, por isso, vai fazer tudo em excesso, sem limites. A sua vida prossegue normalmente, pois não é nenhum inválido e nem tem um tempo de vida limitado. O Dia Nacional do Doente Coronário, celebrado na mesma altura que o Dia do Namorados, pode ser um bom pretexto para fazer uma análise, caso seja doente, ou então informar-se um pouco mais sobre o assunto, até mesmo para esclarecer pessoas suas conhecidas que vivem com essa nuvem negra no seu dia a dia. Mantenha-se informado e goze a vida com tudo o que ela tem para lhe oferecer!

Classificação
A sua opinião
[Total: 0 Média: 0]