Artrite Reumatóide, a doença que afecta as articulações

1101
Artrite reumatóide
Artrite reumatóide

São mais de 100 mil portugueses que sofrem de Artrite Reumatóide, mas o número pode ser três vezes mais elevado. Com maior índice nas mulheres, num número três a quatro vezes superior ao dos homens.

Artrite reumatóide

É uma doença que se traduz por uma inflamação das articulações e que pode atingir qualquer órgão. Não existe um limite de idade para a sua manifestação, mas dados apontam para que a maior incidência esteja entre os 15 e os 40 anos.

A artrite reumatóide é uma doença crónica, que se não for tratada pode conduzir à invalidez. Manifesta-se em várias formas clínicas, todas elas dolorosas.

Desde há quatro décadas que se procuram as causas ainda não conhecidas desta doença, apenas existe a informação de que não é hereditária, nem contagiosa e não é provocada por alterações climatéricas.

O problema provoca a desregulação do sistema imunitário, embora não se saiba se isto é uma causa ou efeito da doença. O sistema imunitário, constituído pelos glóbulos brancos e outras células, passa a atacar o organismo em vez de o defender.

A doença tem um avanço lento e progressivo, na maioria dos casos, e manifesta-se nas mãos, pulsos, pés, joelhos e cotovelos. Se não for tratado ou o corpo não responder aos tratamentos, pode ocorrer uma destruição das cartilagens, ossos, tendões e ligamentos, conduzindo à incapacidade total.

A falta de apetite, a fadiga, o emagrecimento súbito, febres e anemia são os sintomas que acompanham a doença. À medida que esta avança, as articulações passam a ser edematosas, inflamadas, doridas e rígidas, atacando mais frequentemente as mãos.

Outros órgãos que podem ser atingidos são o coração, os pulmões, os rins e os olhos, assim como o sistema nervoso, a pele e as mucosas.

A doença evolui por surtos, com períodos de agudização e períodos em que a doença está inactiva. O repouso é fundamental para o tratamento, cujo principal objectivo é aliviar as dores e reduzir o processo inflamatório, assim como prevenir as deformações articulares.

A prática de exercício físico ajuda a combater a rigidez articular e a atrofia muscular. É necessário e essencial evitar as posturas erradas, que podem aumentar as dores e originar deformações.

A dieta deve ser equilibrada em proteínas, hidratos de carbono e gorduras e rica em vitaminas e sais minerais. O vestuário é outro dos aspectos a ter em conta, porque a roupa deve ser prática, sem botões, especialmente para as pessoas que sofrem de problemas das mãos e os sapatos não devem ser frágeis para evitar o agravamento das deformidades dos pés.

Na gravidez são necessários cuidados redobrados, uma vez que os medicamentos atravessam a placenta e podem prejudicar o embrião, especialmente durante os primeiros três meses de vida.

O tratamento médico é a única forma de combater a doença, que não escolhe idade a atingir. Um contacto útil é a Associação de Doentes com Artrite Reumatóide – ANDAR.

Classificação
A sua opinião
[Total: 0 Média: 0]