A diabetes mellitus e os riscos cardiovasculares

1760
A diabetes mellitus e os riscos cardiovasculares
A diabetes mellitus e os riscos cardiovasculares

Maio é um mês dedicado às doenças do foro cardiológico e várias campanhas de prevenção e sensibilização á diabetes mellitus dirigidas à população serão levadas a cabo pela Fundação Portuguesa de Cardiologia e por outras entidades.

A diabetes mellitus

Não esquecendo que os diabéticos são potenciais doentes de elevado “risco  cardiovascular”, todas as acções de prevenção e controlo da Diabetes Mellitus (DM), tais como a medição dos níveis de glicemia, medição da tensão arterial e controlo dos níveis de colesterol, são medidas extremamente importantes para, assim, se evitarem complicações cardiovasculares, entre outras.

Durante a evolução da diabetes mellitus, ocorrem frequentemente complicações crónicas microvasculares (lesões provocadas a nível dos vasos de pequeno calibre, como os vasos da retina, do rim e do sistema nervoso) e macrovasculares (lesões nos vasos de médio a grande calibre que atingem as artérias coronárias, cerebrais e dos membros inferiores). Como evitar este risco?

A importância do controlo da glicemia para a redução dos riscos cardiovasculares

Num quadro avançado da diabetes mellitus, os riscos de se sofrer um acidente cardiovascular são elevados, sendo este uma das principais causas de morte e incapacidade nos doentes diabéticos que controlam mal os seus níveis de glicemia.

Por norma, as complicações cardiovasculares (macrovasculares e microvasculares) podem iniciar-se num diabético a partir dos 10-15 anos de hiperglicemia permanente, podendo surgir mais cedo nalguns casos.

Vários estudos internacionais, como o “Diabetes Control and Complications Trial” e o “Stockholm Diabetes Intervention Study” demonstram que controlar a DM e baixar os níveis de glicemia até perto de valores normais, atrasa o início e a progressão das complicações microvasculares e macrovasculares.

Sendo hoje a DM considerada uma epidemia a nível mundial— estimam-se cerca de 150 milhões de pessoas afectadas pela doença no mundo e 500 mil em Portugal, prevendo a OMS a duplicação de diabéticos nos próximos 20 anos, os doentes diabéticos deveriam tomar consciência da sua vulnerabilidade e para evitarem possíveis acidentes cardiovasculares, deviam reforçar o controle diário dos seus níveis de açúcar no sangue.

Testes rápidos, fiáveis e indolores: o melhor caminho para a prevenção

A Diabetes Mellitus constitui a competência chave da Roche Diagnostics, tendo a investigação levada a cabo nesta área resultado nos mais inovadores e fiáveis sistemas de controlo da glicemia.

Um dos objectivos foi conseguir que a avaliação da glicémia nos doentes diabéticos se tornasse praticamente indolor e mais confortável, tendo em conta que os doentes têm de fazer esse auto-controlo várias vezes ao dia.

Classificação
A sua opinião
[Total: 0 Média: 0]