3 de Maio – Dia dos Doentes Asmáticos

1499
Doentes asmáticos
Doentes asmáticos

E se de repente deixasse de conseguir respirar normalmente, se cada inspiração não conseguisse encher os pulmões de ar, precisamente quando eles parecem pedir-lhe ainda mais oxigénio, tudo devido a um perfume ou ao contacto com o pó.

Provavelmente, algumas das leitoras já passaram por esta situação e sabem do que falamos. Trata-se da asma, uma doença que já era conhecida na Antiguidade, tratada então com cataplasmas de plantas e inspirações de vapores, provavelmente não tão agradáveis quanto hoje em dia, uma vez que já vem de longe o ditado: “o que arde cura”.

A asma é uma doença dos brônquios, na qual estes, por acção de estímulos muito diversos (alérgicos ou irritantes), se contraem subitamente de forma mais ou menos intensa mas habitualmente temporária. As características da doença variam muito de pessoa para pessoa, mas a falta de ar e a dificuldade respiratória é factor comum a todos os que sofrem desta doença, o que é também um factor de dificuldade para o diagnóstico, porque os doentes podem ter apenas tosse durante a noite, ou apertos no peito quando são efectuados esforços.

Muitas são também as causas que podem despoletar um ataque de asma, desde determinados perfumes, fumos (especialmente o tabaco), pelos de animais (cão e gato), polén e estados nervosos.

A asma manifesta-se através de tosse, sensações de aperto no peito, ruídos agudos ao respirar, com uma pieira ou “chiadeira”, e crises respiratórias, por vezes intensas. Estes sintomas podem aparecer só de vez em quando (asma intermitente) ou serem quase diários (asma persistente), com intensidade variável: ligeiros, moderados ou graves.

As crises de asma podem resultar da acção de substâncias (alergénicos) que podem produzir sintomas nos asmáticos mas que são inofensivos para as pessoas que não são alérgicas. O exercício, a poluição atmosférica, o fumo de cigarro, o ar frio, as infecções respiratórias e alguns medicamentos, como a aspirina, podem ser responsáveis pelo desencadear de crises nos doentes alérgicos.

A asma não tem cura, mas pode, e deve, ser controlada. O primeiro passo é o seu diagnóstico e respectivo tratamento específico para os vários tipos de asma. Há dois de medicamentos para tratar a asma. Medicamentos preventivos, que se destinam a evitar o aparecimento de crises, combatendo a inflamação dos brônquios sendo os mais eficazes os corticosteroides aplicados por via inalatória, desprovidos dos graves efeitos no resto do organismo que acontecem quando se utiliza a via oral ou injectável.  E medicamentos sintomáticos, que se utilizam para as crises, os broncodilatadores.

Uma nova droga veio trazer mais esperança aos asmáticos. Este medicamento experimental, injectável, funciona ao controlar o sistema imunológico do corpo e contém um anticorpo geneticamente alterado feito de células humanas e de ratos. Ataca os sintomas da asma, os espirros, a tosse, os inchaços, a urticária e congestão, e permitiu que alguns pacientes deixassem as drogas esteróides, muitas das quais têm efeitos colaterais indesejáveis. Se obtiver aprovação da Administração de Drogas e Alimentos, a agência que regula os medicamentos, este medicamento poderá ficar disponível.

Existem certas regra que deve cumprir para ajudar a prevenir e controlar a asma:

No quarto de dormir, lave semanalmente os lençóis em água bem quente e os cobertores e almofadas, que devem ser de polyester, pelo menos uma vez por mês, coloque uma cobertura lavável no colchão e evite as carpetes e alcatifas. No quarto coloque o mínimo possível de mobília que possa armazenar pó. Não faça logo a cama assim que se levantar, deixe o quarto arejar.

No resto da casa, evite sempre fazer as limpezas, mas como por vezes não há outro remédio senão meter mãos à obra, proteja-se com uma máscara (tipo cirúrgica).

Mantenha as janelas fechadas, especialmente na Primavera e não se aproxime de caves e sótãos. Mesmo que goste de animais, evite-os em sua casa. Não fume e proíba o tabaco em sua casa, assim como produtos aerossóis e produtos de limpeza com cheiros intensos. Leve com frequência os objectos que podem acumular pó e as cortinas e tapetes, de preferência em programas quentes. Aspire todos os dias, se possível.

Pode optar algumas vezes pelo uso de um produto tipo acaricida disponível nas farmácias.

Em relação à sua saúde, previna-se contra o excesso de peso, que pode provocar-lhe problemas respiratórios, tenha atenção a certos alimentos mais propensos a alergias e faça exercício físico, nomeadamente ginástica respiratória, mas consulte o médico antes.

Evite tomar aspirinas, que podem provocar ataques de asma a certas pessoas e não tome nenhum medicamento sem prévia autorização do seu médico.

Hoje em dia, com os novos conhecimentos e os novos fármacos que existem, pode ter uma vida perfeitamente normal. Basta para tal tomar em consideração estes exemplos e seguir cuidadosamente as instruções do seu médico.

Pode ainda contactar a Associação Portuguesa de Asmáticos (APA) para obter mais informações.

Classificação
A sua opinião
[Total: 0 Média: 0]