Conheça o Abecedário dos Contraceptivos

3524
O Abecedário dos Contraceptivos - Preservativos
O Abecedário dos Contraceptivos - Preservativos

Acessório indispensável nos relacionamentos amorosos, o preservativo está cada vez mais na moda. Conheça agora o  abecedário dos Contraceptivos.

O Abecedário dos Contraceptivos

Sobre os contraceptivos pode mesmo ser escrito um pequeno dicionário:

Aroma

Agora já pode provar um pouco de tudo, usando a ‘borrachinha’ de protecção. Longe vão os tempos em que esta sabia apenas ao latéx em que era fabricada, agora a dificuldade está na escolha e no paladar de cada qual.

Balão

Para quem se quer divertir, usá-lo como balão é do melhor. Experimente mesmo dar um saco diferente de bombons ou rebuçados, especialmente se estiver numa despedida de solteiro. Mas o balão serve também para testar a sua flexibilidade, mas não é caso para se por a soprar em cada preservativo!

Camisas-de-Vénus

Nome carinhoso porque eram e continuam a ser conhecidos os preservativos, numa homenagem à deusa do Amor, causadora de toda esta confusão.

Contraceptivos

Área em que o preservativo se integra, usado para evitar a gravidez, a par com a pílula contraceptiva, as injecções de hormonas, o Dispositivo Intra-uterino, e os métodos de barreira.

Doenças sexualmente transmissíveis

A razão porque o preservativo se tornou indispensável nas relações sexuais. Se antigamente era a sífilis que levou ao aparecimento do preservativo, hoje em dia é a SIDA a principal fonte de preocupação. Mas existem outras doenças que podem ser evitadas com o uso do preservativo como a gonorreia, hepatite, entre outras.

Distribuição

A polémica está instalada com a questão de colocar ou não máquinas de distribuição de preservativos nas escolas. Outro problema coloca-se com alguns dos preservativos distribuídos gratuitamente, na maior parte do caso rejeitados noutros países e distribuídos em Portugal.

Ejaculação

Após esta, o preservativo deve ser retirado imediatamente, mesmo antes da erecção começar a diminuir.

Farmácia

Local onde se continuam a vender preservativos (mas não vá pedir aspirinas piscando o olho). Além disso, também aqui pode receber informações úteis acerca da colocação deste, algo que não obterá nos supermercados.

Femidom

Claro que isto de preservativos já não é só para eles, e as mulheres já podem também contar com o Femidom, o preservativo feminino, que ainda não tem muita aceitação no nosso país, mas que pode ser uma boa alternativa. E depois não há razões de queixa que são eles que não o colocam…

História

No século XVI que o anatomista italiano Gabriel Fallopius recomendava um saquinho feito de linho e amarrado com um laço. Um século depois, um médico inglês, Dr. Condom, resolveu criar um protector feito com tripa de animais para o rei Carlos II, a fim de evitar o nascimento de tantos filhos ilegítimos. Em 1939, com a descoberta do processo de vulcanização da borracha, os preservativos passaram a ser fabricados com esse material e ficaram mais elásticos.

Homossexuais

Existem já preservativos e lubrificantes específicos para as relações anais, mais resistentes e seguros que os normais.

Igreja

A velha e tradicional inimiga da ‘camisinha’. Nem mesmo com a entrada no novo milénio a Igreja cede ao uso do preservativo.

Jovens

São eles os mais atreitos aos problemas da falta de educação sexual e planeamento familiar, mas tirando a polémica da venda de preservativos na escola e a sempre sonhada mas não alcançada disciplina de educação sexual, pouco ou nada tem sido feito no nosso país.

Látex

Material plástico em que o preservativo é fabricado, que lhe permite uma resistência maior do que o plástico e uma maior elasticidade.

Líquido prostático

É produzido quando tem início a excitação sexual masculina, e nele já existem espermatozóides em número reduzido mas que podem provocar gravidez. Por isso, o preservativo deve sempre ser colocado antes de qualquer penetração.

Lubrificação

Indispensável para um uso correcto do preservativo, mas estão proibidos os lubrificantes à base de vaselina, óleos ou de produtos lácteos. Devem ser apenas usados os fabricados à base de água e sim, a saliva é um bom lubrificante, mas às vezes pode não chegar para resolver o assunto.

Mulheres

Elas queixam-se do uso do preservativo, por este ser algo abrasivo e retirar o prazer, mas a lubrificação existe para isso mesmo.

Norma Europeia

Pela qual todos os preservativos têm de ser fabricados, mas segundo alguns estudos, parece que as medidas não estão muito certas com as medidas dos homens europeus, deixando muito espaço de folga.

Oral

No sexo oral, e se não conhece o parceiro, o uso do preservativo é obrigatório, em especial se existirem pequenas feridas nos órgãos sexuais ou na boca. E quem é que não quer provar alguns dos novos sabores?

Preservativo

Contraceptivo em látex que se coloca no pénis, impedindo a entrada do esperma na vagina. Quando usado corretamente é altamente eficaz, devendo ser colocado no início da relação e retirado logo após a ejaculação.

O preservativo é o método contraceptivo mais eficaz na prevenção das doenças sexualmente transmissíveis A sua eficácia aumenta se for usado conjuntamente com um espermicida. O preservativo pode ser adquirido em qualquer farmácia ou supermercado.

Qualidade

Ainda alguns deixam algo a desejar, em especial os distribuídos gratuitamente, mas as normas europeias estão cada vez mais apertadas em torno deste produto. A evitar as que são lubrificadas com óleos ou vaselina.

Romper

É o drama que mais aflige quem usa o preservativo, embora os de boa qualidade estejam preparados para sofrer pressões muito mais elevadas do que as produzidas pelo acto sexual. As principais causas para isso acontecer são a inexperiência do utilizador e o uso de tamanhos desajustados. No caso de tal acontecer, e para evitar a gravidez, existem já no mercado pílulas abortivas, sendo que o melhor é recorrer ao Centro de Saúde da área de residência.

SIDA

É a doença responsável pelo regresso triunfal do preservativo, considerado como o único meio eficaz de protecção na relação sexual (tirando este, só a abstinência).

Tempo

É importante verificar sempre os prazos de validade, porque o latéx tende a deteriorar-se com o tempo. O valor normalmente aceite de validade é de cinco anos após o fabrico (não da compra!).

Utilizar

Nada que um bom manual não ensine, mesmo através da net. Antes de experimentar ‘ao vivo’ porque não tentar com uma banana? Além disso, é preciso ter em conta que o preservativo tem de ser utilizado uma única vez.

Os principais passos são: colocar o preservativo no início da relação, com o pénis em erecção e retirar logo que ocorra a ejaculação, com o pénis ainda em erecção, e deve segurá-lo bem para evitar que fique retido na vagina.

Variedade

Com tantos sabores, formas e texturas à escolha, não tem desculpa para não usar, pelo menos como curiosidade, se tem uma relação segura.

Classificação
A sua opinião
[Total: 1 Média: 5]