Saber ouvir, cuidados a ter com o sentido da audição

936
Saber ouvir, cuidados a ter com o sentido da audição
Saber ouvir, cuidados a ter com o sentido da audição

Todos os animais precisam de comunicar entre si. É desta forma que se avisam de perigos eminentes, que estruturam a sociedade em que habitam. A comunicação é essencial e para tal são usados diversos canais, entre os quais o mais importante: o sistema auditivo.

Os problemas de fala e de audição, muitos deles surgidos em tenra idade, duram muitas vezes toda a vida e provocam limitações que levam à frustração e à angústia, impedindo que quem encara estes problemas se adapte no quadro social. As crianças afectadas com estas dificuldades sabem bem os entraves que enfrentam, quer na aprendizagem na escola, quer com o afastamento a que são votados pelos colegas.

A diminuição do sentido de audição reflecte-se também na personalidade do indivíduo afectado, numa comunidade que preza acima de tudo a comunicação.

Hoje em dia, os problemas não se tornam tão graves, devido em muito às descobertas realizadas nos anos trinta, na área da otorrinolaringologia. O desenvolvimento de técnicas cirúrgicas destinadas ao tratamento da surdez e o aparecimento do microscópio cirúrgico são os primeiros passos para a execução de operações até ali impossíveis.

Hoje em dia, o tratamento da surdez não parou de evoluir, através do desenvolvimento simultâneo da óptica e da electrónica, dos diagnósticos precoces com a subsequente avaliação clínica das causas da surdez, dos exames sofisticados e um tratamento médico e cirúrgico avançado.

As causas da surdez são várias, e podem surgir logo na formação do embrião, uma vez que o órgão humano da audição está presente logo no inicio do desenvolvimento do feto, pelo que este fica mais exposto a ser atingido por via da mãe, devido a problemas como a rubéola, a diabetes e a epilepsia, incompatibilidade sanguínea dos pais, exposição a raios X, ingestão de certos medicamentos, traumatismos físicos e factores de hereditariedade.

O parto também pode trazer problemas, com traumatismos obstétricos e faltas de oxigenação. No recém-nascido, os problemas passam por infecções respiratórias superiores, viroses, alergias e otites. Há que ter especial atenção nas crianças para detectar os primeiros sintomas de surdez.

Esteja atenta ao comportamento dela, se coloca o volume da televisão muito alto, se não ouve à primeira vez o que disse, se fala sempre muito alto e na escola se dá erros nos ditados e é demasiadamente distraída. Todos estes factores são de alarme e necessitam de uma consulta ao pediatra.

Na juventude são as discotecas que provocam os problemas, através do excesso de ruído, porque apesar da perda de audição depender da susceptibilidade individual, os altos níveis atingidos causam a surdez irreversível e sem qualquer hipótese de tratamento.

Na terceira idade, o órgão auditivo, precoce no seu desenvolvimento, é também precoce na sua degradação, e a surdez vai progredindo à medida que a idade avança. Muitas vezes é mesmo necessário recorrer a próteses acústicas.

Tenha então cuidado com os seus ouvidos, evitando introduzir objectos estranhos, água em demasia e consultando o médico sempre que suspeite de algum problema.

 

Classificação
A sua opinião
[Total: 0 Média: 0]