A moda e a fotografia, cada vez mais unidas

1273
A moda e a fotografia
A moda e a fotografia

Moda e fotografia estão cada vez mais ligadas. Os fotógrafos actuais são encarados como verdadeiros artistas. Mais do que vender a marca que representam, eles procuram criar uma imagem única, diferente de tudo o que foi visto até agora.

A moda e a fotografia

Procuram a inovação, o chamar a atenção e, para isso, nada melhor do que dar forma aos nossos mais secretos desejos. Nunca, como nos anos 90, se estabeleceu uma ligação tão forte entre estilo/moda e o subconsciente. E são os fotógrafos que, em parte, dão forma a esta ligação.

Nomes? Corinne Day, Inez van Lamswerde, Helmut Newton, Wolfgang Tillmans, Bruce Weber, Ellen von Unwerth, entre outros.

São eles que assinam as campanhas publicitárias de grandes e prestigiadas marcas internacionais de roupa, cosmética e perfumaria. E são eles que definem, não só o que devemos usar mas, também a maneira como o devemos fazer.

Vejamos o êxito do fotógrafo alemão Helmut Newton, considerado por muitos a maior fotógrafo de moda das últimas décadas do século XX. Ver o seu trabalho é como fazer uma viagem pelos diferentes estilos que este final de milénio viu passar.

As suas fotografias são verdadeiras encenações, onde tudo é levado aos mais ínfimos pormenores. Cores saturadas, ângulos enviesados e desconfortáveis, valorização de cenas características do mundo da droga e da violência, são algumas das suas marcas pessoais.

Mas Helmut Newton não está sozinho nesta “onda”. Em várias fotografias, modelos anoréxicas, anemicas e com o olhar perdido parecem desfalecer. As semelhanças com os efeitos da droga saltam a olhos vistos. Este é o cenário preferido, por muitos fotógrafos, desde há cerca de 2 anos.

Depois do glamour dos anos 80 com as suas top-models, chegou a vez de mostrar as coisas tal qual como elas são, sem rodeios e com muito realismo à mistura. O ideal de beleza dos anos 80, a perfeição, já não tem lugar na sociedade dos últimos anos do século XX.

Foram os jovens ingleses quem primeiro quebraram com essa regra, ganhando destaque em revistas como The Face. O Heroin Chic surge, assim, na consequência desta mudança de atitude em relação à moda. O fotógrafo Davide Sorreenti, que ironicamente morreu aos 20 anos de overdose de heroína, foi o grande percursor desta moda. Outros nomes o seguiram: Juergen Teller, David Sims ou Nigel Shafran.

Claro que os protestos não tardaram a chegar: desde o Presidente Bill Clinton até às mais pequenas associações familiares, todos levantaram a sua voz contra esta maneira de vender roupa.Mesmo assim a fotografia de moda não pára.

Hoje é um verdadeiro e poderoso instrumento ao serviço da marca mas, também do próprio fotógrafo que passa de um mero desconhecido para o elo criativo de toda uma campanha.

Classificação
A sua opinião
[Total: 1 Média: 5]