Liberte a Sua Libido

0
821

O que é que realmente nos faz reagir de formas tão diferentes em relação ao mesmo assunto consoante a idade que atravessamos?

Costumam alguns autores literários fazer referência às diversas idades do sexo e muitos ditos humorísticos foram feitos nessa base. Mas o que é que realmente nos faz reagir de formas tão diferentes em relação ao mesmo assunto consoante a idade que atravessamos?

A resposta é a libido. Essa característica muito discutida mas pouco conhecida que nos leva a cometer algumas loucuras. E ainda por cima toma diferentes orientações consoante a idade.

As raparigas com menos de 15 anos têm tendência para uma enorme extravagância no que respeita à sexualidade, que mostram através da linguagem desbragada e da forma arrogante como falam com os amigos, a querer mostrar uma personalidade forte e madura, quando se sentem mais do que nunca inseguras e apenas desejam um pequeno carinho da parte do rapaz que gostam. A atracção vai direitinha para o colega mais extrovertido e mais cobiçado da turma.

O crescimento dos seios dá-lhes uma importância que as separa da infância e das amigas mais novas, abrindo-lhes um mundo totalmente novo. É nesta idade que se sonha com os heróis do cinema e com os actores que os interpretam. E o sonho passa mesmo por isso, porque relações a sério só na televisão. Esperam pelo homem certo, no local perfeito e no momento apropriado.

Mas os rapazes também não têm a vida facilitada. Com esta idade procuram desenfreadamente aquilo que elas mais lhes recusam: as relações sexuais. O primeiro que conseguir provar que iniciou a sua vida sexual será o herói do grupo.

Dos 15 aos 20 anos, é altura em que elas querem provar que são 100% femininas e de experimentar tudo o que é novo, mas as dúvidas acumulam-se e começam a torturar-se com dietas porque não gostam do corpo.

Nesta idade o sonho é a paixão ideal, e nem querem aproximar-se dos rapazes que apenas pensam em sexo. Começam a pensar em perder a virgindade, mas apenas com o tipo certo, que terá sempre mais idade do que os colegas de turma. Quanto aos rapazes, esses davam a vida para conquistar mais uma e acrescentá-la à lista de aventuras.

Entre os 20 e os 30 anos a ideia é: quantos mais, melhor. E sempre em busca do Sr. Perfeito. Para algumas mulheres este é o limite que se impuseram para casar, outras preocupam-se mais com a futura carreira. Mas os homens estão sempre presentes, embora se limite muito a si mesma, com medo do desconhecido.

E eles… Fogem só de adivinhar que ela pensa em vestidos de noiva e banquete de casamento. É ainda muito cedo para se comprometerem .

E vem a idade de ouro da mulher. Com 40 anos, são voluptuosas, conhecedoras, sensuais, e só pensam em experimentar tudo, mas com calma e saboreando cada momento. Cada vez se sentem mais seguras em relação ao sexo e ao corpo e uma visita à sex-shop mais próxima está na lista a seguir (ou antes) da visita semanal ao supermercado. Afinal é sempre preciso comprar mercadorias.

Acima de tudo colocam o seu próprio prazer e ai dos homens que pensam que prazer feminino é um simples suspiro.

Nesta idade, os homens não se sentem muito seguros de si mesmo, em especial os casados e tentam provar que são o máximo tendo ligações extra-matrimoniais, que nem sempre lhes correm bem.

A ternura dos quarenta está já ao virar da esquina, as mulheres casadas deixam de se preocupar tanto com a aparência e com o sexo, e as divorciadas ou livres continuam a sua aprendizagem (e a dar algumas aulas, também).

Estas felizardas não se preocupam com relógios, com promessas e exigências. Procuram o prazer pelo prazer puro, sem esperar nada demais.

Os homens, esses, procuram o amor, a ternura e a compreensão para a sua velhice.

Dos 50 aos 60 anos, idade a que muitos atribuem a acalmia dos sentidos, a mulher continua a sua busca pelo melhor que a vida pode oferecer. E se for com o homem escolhido trinta anos atrás, tanto melhor. Mas este melhor não se fica apenas por passeios na praia e danças de salão. As fantasias sexuais passam por uma noite tórrida na mesa da cozinha ou noutro sítio inesperado, com a mesma fogosidade de quando tinham vinte anos, mas com a sabedoria actual.

Para eles, que enfrentam uma mulher nestes termos, é altura de começar a pensar nos efeitos do Viagra.

Uma década depois, a partir dos 60 anos é a tranquilidade total. O sexo já não tem surpresas e a idade dá o direito de escolher o que quer, quando quer e como quer fazer as melhores coisas. O sonho de juventude e os suspiros frente ao televisor passaram a ser dirigidos para Roger Moore ou Sean Connery, porque é dos maduros que elas gostam mais.

Para eles, o sonho passa por uma mulher caliente, na casa dos trinta anos que lhes satisfizesse as fantasias mais recônditas, sem que eles tivessem de se dar a muito trabalho.

E para evitar as críticas e os franzires de sobrolho que já se adivinham em alguns leitores, declaramos solenemente que esta libido de que falamos nem sempre está activa, ou pelo menos, não desta forma. Por isso podemos nós mulheres descansar em relação às ideias deles e os leitores masculinos ficar mais tranquilos em relação às esposas.

Classificação
A sua opinião
[Total: 0 Média: 0]