Confirme a sua capacidade de conduzir sempre que tomar medicação

1918
Confirme a sua capacidade de conduzir sempre que tomar medicação
Confirme a sua capacidade de conduzir sempre que tomar medicação

A regra ‘Se Beber Não Conduza’ deve ser aplicada sempre, mas há outras circunstâncias em que conduzir pode ser igualmente perigoso, estamos a falar de determinados medicamentos que podem afectar a capacidade de conduzir.

Capacidade de conduzir

Quando estamos doentes temos que nos medicar. Tomar comprimidos faz bem para o nosso estado de saúde, mas pode causar problemas quando se trata de conduzir. Nem todos os medicamentos implicam uma ausência na condução, mas muitos deles constituem um verdadeiro perigo de vida.

A capacidade de conduzir fica reduzida substancialmente e os reflexos já não são tão nítidos- isto é o que determinados medicamentos provocam em si. De início, o doente nem se apercebe de tal facto, pois não nota absolutamente nada de anormal, mas o que é certo é que o perigo é muito maior.

Geralmente, é logo após se ter começado o tratamento que os perigos são maiores, embora proporcionem consequências muito mais negativas caso se misture com os medicamentos bebidas alcoólicas. Aí, os reflexos e a capacidade de reacção face aos perigos da estrada são muito mais amplos.

Para saber se um medicamento provoca inibição de condução basta consultar o folheto que vem na caixa do seu medicamento. Lá, poderá encontrar os efeitos secundários e as contra indicações das substâncias que constituem o medicamento, tal como o devido alerta para a inibição de conduzir.

Os medicamentos que não permitem conduzir produzem um estado de sonolência de difícil controlo. Os reflexos ficam muito mais reduzidos e a visão não conserva as suas propriedades habituais ficando turva. Pode também acontecer situações de perda de consciência devido a vertigens ou a fortes enjoos, provocados pelos medicamentos, ou ainda uma forte irritabilidade, agressividade ou sensação de embriaguez, que poderá levar a um descontrolo evidente na condução.

No leque dos medicamentos que mais afectam a condução encontram-se os calmantes, anti-alérgicos, os indutores de sono, estimuladores, os que cortam o apetite, alguns dos medicamentos indicados para as constipações, epilepsia ou hipertensão. Há ainda a realçar os medicamentos que são utilizados para atenuar problemas de vista ou cólicas.

Estes medicamentos têm tendência para perturbar muito mais os reflexos e a capacidade de condução se forem tomados em doses maiores que o habitual, com bebidas alcoólicas, ou se forem misturados com outras categorias de comprimidos.

As pessoas que estão sob o efeito de qualquer medicamento devem informar-se com o seu médico acerca das contra-indicações do mesmo e da impossibilidade de conduzir. Caso tenha obrigatoriamente que continuar a conduzir, então deve informar-se sobre as formas encontradas para reduzir os riscos.

Todos aqueles que estão dependentes de medicamentos, devem ter especial atenção aos medicamentos para as arritmias, os que servem para baixar a tensão arterial, os medicamentos para a epilepsia e todos os antidepressivos. Aos diabéticos, aconselhamos que não conduzam à noite, nunca ingiram bebidas alcoólicas, e que parem muitas vezes enquanto conduzem. Beber água é também muito importante.

Nunca se esqueça de perguntar ao seu médico se determinado medicamento poderá afectar a sua condução. Siga sempre os seus conselhos e, se tiver mesmo que deixar de conduzir, caso não encontrem outra alternativa, o melhor é fazê-lo, não só pela sua segurança como também pela dos outros, que consigo compartilham a estrada.

Classificação
A sua opinião
[Total: 0 Média: 0]