Maldita Ressaca

1516

Acorda com uma grande dor de cabeça. A boca, essa, parece que esteve a mastigar papel, não se consegue levantar da cama, e as náuseas são sucessivas. Isso é aquilo que se chama de uma verdadeira Ressaca!

Confesse que abusou! Ontem à noite a festa estava bem divertida, fartou-se de dançar, não deu pelo tempo passar, e com toda a certeza que deve ter bebido demais. Não se recorda! Está deitada e a cabeça parece que vai explodir, precisa de água, muita água mesmo, mas parece que tem um peso de 40 kg sobre si!

Estes são os sintomas mais frequentes quando a ressaca se instala, logo após uma noite de farra! Mas, dependendo da bebida que ingeriu, da quantidade, da forma como se alimentou, da sua estrutura física, há ressacas bem piores que outras. É nesta altura que a ouvimos dizer a maior mentira do dia: “Nunca mais volto a beber!”

Os efeitos que o álcool provoca ao ser humano variam de pessoa para pessoa! Ainda assim, sendo uns piores que outros, a verdade é que quase todas as pessoas já experimentaram esta sensação horrível a que chamaram de ressaca. Com o calor a apertar, a vontade é sair bastante pela noite fora, beber um copo num daqueles bares de praia, e divertir-se à grande! O problema é que atrás de um copo vem outro, e outro, e quando dá por si já está “alcoolicamente bem disposta”! No dia seguinte é a ressaca que denuncia o real estado da noite anterior. No entanto, não entre em pânico! Tudo voltará ao normal!

Convém ter algumas noções relativamente ao álcool e seus efeitos: por exemplo, uma pessoa com mais peso aguenta melhor uma mesma quantidade de álcool do que alguém mais ‘leve’. O mesmo acontece com as pessoas que estão já habituadas a beber: se uma pessoa que raramente bebe, beber o mesmo que outra que digere álcool frequentemente, os resultado serão desastrosos para a primeira. Por isso, não se meta em aventuras com pessoas que estão habituadas a beber! O álcool também não provoca sempre as mesmas sensações: se estiver divertida poderá ter em si efeitos positivos, mas se, por qualquer motivo, estiver em ‘baixo’ é natural que ainda lhe faça pior ingeri-lo. Pode cair numa depressão momentânea, e ter ideias e vontades nefastas para a sua saúde!

O álcool sempre esteve ligado à diversão, celebração e festa. Independentemente da classe social, desde sempre o álcool ocupou um papel de destaque. Todavia, são também muitas as histórias de exageros, embora o álcool obrigue a uma moderação limitada e a cuidados especiais, não só para a saúde, como também para os condutores e peões. Com esta história toda, e por esta hora, estará ainda mais enjoada e com mais sede. “Será que é normal?”- Claro que sim! O álcool reduz a quantidade de açúcar no sangue, daí a moleza, e uma grande irritação no estômago, provocada pelo excesso de bebida. Por isso, sente o enjoo! É esta irritação que origina os vómitos! “E esta vontade de urinar?” É que o álcool reduz a acção do hormónio que controla a quantidade de urina produzida pelo organismo e, por isso, é normal que durante a ‘extravagância alcoólica’, e no dia seguinte, tenha mais vontade de ir à casa de banho do que habitualmente.

No dia da ressaca ser-lhe-á muito difícil comer o que quer que seja. Opte por alimentos leves, sem gordura, fruta, e um bom cházinho/café. Beba muita água, porque você vai estar muito desidratada! Aliás, uma forma boa de regular a sua noite de folia é ir alternando o álcool com água, e assim bebe a mesma quantidade de ambos. Porém, com o passar da noite, certamente vai-se esquecer de beber a água! Este líquido é também muito bom na hora de ir dormir: beba um litro de água antes de ir para a cama, e tome um remédio para a dor de cabeça. Verá que no outro dia estará melhor do que se chegasse a casa e não tomasse nada!

“E esta irritante secura que não passa!!” Pois é, se tivesse bebido uma colher de azeite antes de começar a beber, segundo os nossos antepassados, agora não estaria a passar por essa sensação porque, provavelmente, nem teria conseguido beber mais! Há quem diga que um bom sumo de limão ou tomate, no dia seguinte, ainda em jejum, costuma fazer milagres. Segundo algumas culturas, um copo de cerveja gelada, assim que se levantar, também produz um efeito positivo. Pelo menos não passa por todas essas sensações desagradáveis! Se tiver paciência, quando chegar da farra, beba uma canja de galinha. Mas, aconselha-mo-la a fazer a canja antes de sair à noite, pois de madrugada o mais certo é nem encontrar um prato! Atenção que há ressacas que produzem mais sede que outras: a do vinho dá-lhe a sensação de estar a travessar o deserto sem uma única gota de água. E, o pior, é que mesmo que beba, a sede mantém-se sempre!

Siga alguns dos nossos conselhos: alimente-se bem antes de começar a beber, para que os efeitos do álcool não sejam tão intensos. Nunca beba à pressa! A bebida é para ser saboreada calmamente, e sem pressas! Faça um esforço e beba água para que o efeito do álcool não seja tão forte. Modere a quantidade de álcool a ingerir! No dia seguinte, opte por alimentos leves, chá, café, muita água, mesmo muita, para hidratar o corpo, e coma alimentos com sal e potássio para repor os nutrientes que perdeu. Não se esqueça também de ingerir muita vitamina B!

Tenha calma! O que está a sentir passará em breve! Amanhã tudo estará normal!

Classificação
A sua opinião
[Total: 0 Média: 0]