Incenso – o perfume para relaxar

5217
Incenso - o perfume para relaxar
Incenso - o perfume para relaxar

O Incenso faz parte da cultura de diversos povos, e já na Bíblia ou nas escrituras Védicas da Ìndia antiga encontramos referência a ele. Apresentamos-lhe aqui o aroma da purificação e do relaxamento!

A origem do incenso

O incenso é um dos produtos mais antigos da humanidade, usado em muitos rituais e cerimonias desde os primórdios da nossa civilização. Inicialmente, o seu uso estava apenas reduzido aos habitantes do vale do rio Ganges, na Índia, decorria ainda o IV milénio a. c..

O Budismo e, mais tarde, os Jesuítas foram os principais contributos para espalhar o incenso pelo Sudoeste Asiático, China, Pérsia ou Médio Oriente, levando-o posteriormente a todo o mundo.

Porém, foi só quando os romanos trouxeram para Itália esta mercadoria, é que se pode dizer que o incenso se tornou verdadeiramente popular. Popularmente conhecido como ‘Per Fumum’, termo latim, ou por ‘através da fumaça’, o incenso fez logo muitos adeptos logo nessa altura. Casas e templos eram purificados através do incenso.

Este produto servia também, segundo os populares, para levar até aos Deuses as preces e orações dos fiéis. Aos poucos, o incenso foi viajando com os navegadores e mercadores por todo o lado, e chegou a quase todas as partes do globo.

A queima de ervas em ambientes fechados, servindo como homenagem aos deuses ou com o objectivo de assinalar uma determinada cerimonia, fez com que as pessoas quisessem também perto de si este perfume que limpava o ar e o corpo, relaxando-o ao mesmo tempo.

A prova da importância do incenso é notória. Afinal, quais foram os presentes levados ao Menino Jesus? Exactamente o ouro, a mirra e o incenso, sendo este o primeiro presente ofertado ao recém nascido.

Desde essa fase até agora, o incenso já tem sido utilizado para mil e uma vertentes, mas tendo sempre como base purificar o ambiente e conferir-lhe um odor especial.

Proveniente das florestas de madeiras aromáticas, como é o caso do sândalo branco, o incenso é ainda hoje utilizado especialmente para perfumar inúmeros locais e para proporcionar a um determinado sítio o ambiente indicado para o Yoga, Meditação, Aromaterapia, entre outras formas de medicinas alternativas ou de meditação.

Hoje em dia qualquer pessoa tem incenso em casa, até porque tornou-se um elemento indispensável na decoração de qualquer lar, mas o incenso é muito mais do que um elemento decorativo que serve para contribuir com um cheiro agradável ao ambiente.

A ele estão ligadas inúmeros doutrinas espirituais, provenientes de práticas budistas e de técnicas de meditação que ao longo dos tempos muitas vezes têm sido banalizadas, tal como o verdadeiro significado do incenso.

A intimidade com o incenso pode não ser muito agradável para o ser humano, se se recorrer a este em excesso. O seu forte cheiro é extremamente positivo, mas não se deve ter um dia inteiro um pau, ou outra qualquer forma de incenso, perto de nós.

Problemas de pele, entre outros, podem surgir posteriormente. Os antepassados da nossa civilização acreditavam piamente que o incenso conseguia afastar os maus agoiros, as desgraças, purificando o ambiente, ao mesmo tempo que renovava a energia de cada ser humano, mas nunca o utilizavam por um período de tempo contínuo muito longo.

Não era um capricho queimar incenso, mas sim uma necessidade espiritual, que com o passar do tempo foi perdendo o seu valor. O incenso passou apenas a ser mais um objecto que oferece à casa um odor bem agradável, do que propriamente uma filosofia existencial.

Constituído à base de polpa de madeira, nitrato de potássio, goma arábica, água, e repleto de muitos aromas- resinas, ervas, madeiras, óleos ou flores, o incenso é uma mistura de diversas substâncias que rapidamente se infiltram num determinado ambiente.

Existem quatro categorias de incenso:

As folhas ou pós de ervas aromáticas, gomas e resinas de plantas balsâmicas, que podem ser usadas conjuntamente com pó de ervas, bastões de pó de madeira aromáticos, misturados com essências e resinas, e varetas de bambu, com massa de pós, resinas e especiarias.

Existem no mercado muitas imitações de incenso e, talvez seja por isso, que muitas pessoas não apreciam o seu cheiro. Mas, há que ter em atenção que existem vários odores, basta você escolher, sendo que o melhor é adquiri-los numa casa de venda de produtos orientais.

Está mais que provado que os cheiros podem ser muitos úteis na estagnação de determinados problemas do corpo humano, mas é também mais que certo que os odores podem também ter um papel importante a nível sexual. Por isso, basta escolher o cheiro que a faz sentir melhor e que lhe proporciona um maior relaxamento.

A variedade é muita, e actualmente pode fazer o seu santuário pessoal onde quer que esteja: em casa, na praia, no campo, num automóvel.

Relaxe o mais que conseguir e deixe-se seduzir pelos cânticos dos cheiros do Incenso!

Fique aqui com alguns exemplo de aromas e descubra o que o incenso pode fazer por si:

  • Alecrim – boa sorte, protecção.
  • Alfazema- serenidade.
  • Almíscar – romance, amor, afrodisíaco.
  • Camomila – calmante, sorte.
  • Canela – prosperidade, sucesso.
  • Cravo – expulsar forças negativas.
  • Flor do campo – harmonia.
  • Jasmim – melhora o humor.
  • Verbena – inspiração, sonhos.
  • Violeta – afrodisíaco.

Classificação
A sua opinião
[Total: 1 Média: 5]