Conheça a Técnica de Pompoir

530
Técnica de Pompoir
Técnica de Pompoir

Aumentar o seu prazer e o do seu parceiro é a promessa dos exercícios da Técnica de  Pompoir que pode fazer em qualquer local.

A técnica do Pompoir é uma técnica que terá surgido na Índia e que mais tarde foi adaptada pelo médico Arnold Kegel, através de forma de exercícios para prevenir e corrigir problemas de saúde feminina.

É a palavra originária do tamil (pahm-pour), língua do Sri Lanka e sul da Índia e significa comando mental sobre o pubococcígeo, os músculos circunvaginais e os grandes lábios da vulva.

Exercícios da Técnica de  Pompoir

E esta é a base de acção da técnica de Pompoir, sendo essa a sensação proporcionada ao companheiro quando a mulher, ao movimentar o corpo, usa os músculos treinados da vagina para sugar e libertá-lo sucessivamente. Algumas mulheres podem nascer com esta habilidade, mas todas têm a possibilidade de aprender e de praticar, bastando para tal algum exercício.

Os primeiros registos das técnicas do Pompoir encontram-se em antigos escritos da Índia e no Tantra Yoga encontra-se uma prática que se assemelha ao Pompoir, ao despertar a energia Kundalini que está adormecida na base da coluna.

Nesta técnica, o casal praticava o acto sem que se chegasse à troca de fluídos, cabendo à mulher o papel activo de manter motivado o companheiro continuamente, usando os movimentos da vagina.

No inicio do século XX, gueixas japonesas e prostitutas tailandesas, usavam a técnica para proporcionar maior prazer aos clientes. Para tal treinavam com as contas de colares, as precursoras das actuais Ben Wa, as bolinhas orientais usadas para treinar os músculos vaginais.

Em espectáculos mais ou menos públicos, as mulheres da vida tailandesas começaram a usar esta técnica usando-a para fumar cigarros ou atirar pequenos objectos, tal era o estado de desenvolvimento dos seus músculos. Mas a técnica conheceu fama mundial quando, em 1976 no filme ‘Império dos Sentidos’ o mundo viu a actriz principal sugar e expulsar um ovo cozido.

Entre algumas raças humanas, os músculos pubococcígeo estão anormalmente desenvolvidos. Na Abissínia as mulheres são conhecidas por conseguirem provocar a libertação de fluídos ao homem sem mexerem qualquer outro músculo do corpo e poderem também provocar-lhe dores intensas.

Esta técnica é conhecida entre os árabes como ‘Kabbazah’, um termo que significa ‘segura’ e é usado para descrever a mulher que possui a arte de prender coisas com a vagina.

Em algumas pinturas indianas em que parece impossível ocorrer qualquer movimento, ou onde a mulher está a tocar um instrumento musical, a intenção é representar a arte de Pompoir, em que ela está no comando e lentamente consegue levar o parceiro à libertação de fluídos apenas com a vagina.

Os músculos pélvicos e vaginais podem ser exercitados como quaisquer outros e aqui está mais em jogo do que o puro prazer da musculação, porque devido a estes exercícios a mulher alcança uma intensificação do prazer, assim como evita vir a sofrer de prolapso do  do útero, afrouxamento da região pélvica, causada por partos, excesso de ocorrências inflamatórias (vaginites, etc.), pela própria idade (a mulher começa a modificar sua estrutura vaginal a partir dos vinte e cinco anos) ou devido a excesso de peso.

Uma forma de ginástica semelhante foi desenvolvida pelo médico americano Arnold Kegel, em 1950, uma técnica para contrair os músculos vaginais, em movimentos repetitivos em quinhentos exercícios. Segundo estudos de Kegel, são necessários três meses de exercícios diários para a mulher atingir ponto de excelência.

Indicamos aqui alguns exercícios básicos desta ginástica, que pode ser um princípio para descobrir mais acerca do Pompoir:

  1. Sente-se numa cadeira (evite os sofás) com a coluna ligeiramente inclinada para a frente, sem causar desconforto, mãos nos joelhos e os pés em posição paralela. Inspire, contraindo os músculos da vagina, como se segurasse algo dentro dela, conte até 30 e relaxe expirando. Repita esse exercício por dez minutos.
  2.  Em pé, com os braços ao longo do corpo, mantenha os pés paralelos e ligeiramente separados. Contraia as nádegas e tente uni-las ao máximo que puder. Conte até dez e relaxe.
  3. Em pé, contraia e relaxe a musculatura da vagina durante dez minutos.

O exercício seguinte é usado para treinar os músculos que rodeiam a vagina: deite-se no chão com as pernas em posição de sapo (os pés unidos e os joelhos afastados e dobrados) e deixe os músculos da vagina e do estômago relaxarem. Imagine as duas paredes interiores da sua vagina e tente uni-las contraindo os músculos como se estivesse a impedir a saída de urina, durante cinco segundos.

Alguns destes exercícios podem até ser realizados em casa, no emprego, enquanto espera pelo autocarro ou ao volante do seu carro e enquanto o sinal não muda, sempre que sentir que os pode realizar, mas é recomendado que siga todos os passos durante vinte minutos por dia.

Pode ainda praticar alguns exercícios com o auxílio das bolas bem wa, usadas há séculos no Oriente para exercícios de fortalecimento vaginal. São duas bolas ocas, de ouro, prata ou marfim, ligadas por um cordel, contendo pesos ou com o aquaflex, uma peça de plástico com formato de pêra, que se desatarraxa para a introdução de vários pesos, utilizada para ginastica de fortalecimento de músculos vaginais.

O canal vaginal é composto de vários anéis e esta técnica permite controlar a força destes, que deverá treinar diariamente para fortalecer a musculatura e obter velocidade nos movimentos, que são, pelo menos, quatro:

  • Contração;
  • Sução;
  • Expulsão
  • Torção.

As contrações podem ser de todos os anéis juntos ou separadamente e em relação à força, esta irá permitir desde um carinho. Com alguma prática, pode até simular uma nova virgindade, sem necessidade de recorrer a cirurgia plástica.

Classificação
A sua opinião
[Total: 0 Média: 0]