O dia de São Valentim, o dia dos enamorados

0
3900

Um inesquecível dia de São Valentim, é o mínimo, que a Mulher Portuguesa lhe pode desejar.

 

Não desanime, nem sempre o cenário é negro e, é para aqueles que estão apaixonados que o dia de São Valentim se destina. Passam juntos o dia, saem, trocam presentes em sinal da sua paixão e Amor. Mas, quem é o São Valentim? Alguém eternamente apaixonado? Um mito fictício? Descubra, uma das muitas histórias, sobre a origem do dia de São Valentim

O dia 14 de Fevereiro, conhecido popularmente pelo dia de São Valentim, é uma época apreciada por todos. Mesmo aqueles que estão longe do seu companheiro ou que, ainda não encontraram a outra cara metade, acabam sempre por parar numa vitrine ou ler acerca do assunto. È uma época que mexe com todos, quer seja por amor, por saudade ou por ausência desse estado de alma.

Conta-se que o nome para este dia tão especial, provém de um padre de Roma, de seu nome Valentine. Este homem da Igreja,tornou-se mártir em 270 A.C.

A tradição deste feriado religioso, ficou amplamente relacionada com ocasiões mais festivas e, que fixaram o seu lugar na história. Um dos eventos, foi o “the Roman Feast ofLupercalia”.

A Deusa do Amor Juno, também conhecida como a Deusa das Mulheres e do Casamento, e o deus Pastoral Lupercus, assumiam-se como as grandes personalidades, às quais o festival era inteiramente dedicado. O feriado oferecido a Juno, era exactamente o de 14 de Fevereiro.

O “Festival de Lupercalia”, tinha o seu início marcado para o dia seguinte e, tinha como cenário, a dedicação a muitos Deuses e Deusas. Na altura, os meninos e as meninas viviam totalmente separados e, este festival era uma oportunidade de se aproximarem.

Assim, durante o festival, os meninos retiravam de um recipiente, um papel com o nome de uma menina presente. Esse par permanecia junto durante o festival, permitindo o convívio entre ambos. Conversavam, brincavam e dançavam juntos.

O que sucedia posteriormente, é que muitos deles acabavam por ficar juntos durante todo o ano, quer por amizade, quer por afecto. Uma grande parte deles, apaixonava-se perdidamente e, muitos deles chegavam mesmo a casar. O amor rompia assim, por entre as danças de outras eras, de um simples festival.

Nos dias de hoje, as coisas não são tão lineares. A paixão e o amor podem surgir impulsivamente a qualquer momento, sem ser necessário uma dança num festival anual, entre meninos e meninas. Os tempos mudaram e a convivência entre ambos os sexos, é agora muito mais próxima e expansiva.

Dia dos Namorados ou dia de São Valentim

Se não sabe o que há-de fazer ou dizer de original ao seu namorado, expresse-lhe o amor que sente por ele, de maneira diferente. Pode dizer que o ama em Alentejano, em jeito de brincadeira ”Gosto de ti, porra!”, em Mandarim “Wo ai ni”, em Madrileno ”Me molas tronca”, em Lisboeta “Gramo-te bué, chavalinha”, ou em Esloveno “Ljubim te”.

Conserve o dia de São Valentim, e faça dele uma época especial e inesquecível, para recordar para toda a eternidade.

Se quiser, para além de lhe dizer que o ama noutra expressão, que não a habitual, escreva-lhe num postal com esta simples, mas sentida dedicatória: “ O mais belo dos mares é aquele que ainda não vimos. A mais linda canção não ouvimos. Os nossos melhores dias ainda não vivemos, e o melhor de tudo que tenho para te dizer, ainda não te disse: amo-te…hoje…e sempre…”. Este é o texto de um autor desconhecido, mas apaixonado…tal como você.

Um inesquecível dia de São Valentim, é o mínimo, que a Mulher Portuguesa lhe pode desejar.

Classificação
A sua opinião
[Total: 2 Média: 3]