Terapias alternativas, conheça melhor cada uma destas terapias

3471
Terapias Alternativas
Terapias Alternativas

Os portugueses ainda não procuram muito as terapias alternativas, estas são quase sempre a segunda escolha depois de um método convencional. Muitas das vezes podem até ocorrer interações prejudiciais á saúde entre medicamentos e outros produtos ou contradições entre linhas de tratamento.

Terapias alternativas

Há uma forte tendência de o paciente apenas avisar o terapeuta alternativo, que está também a ser medicado pelo terapeuta convencional, demonstrado assim o receio ou vergonha que os pacientes sentem por praticar esta técnica.

Além disso, ao contrário do que se costuma pensar, as terapias alternativas não são usadas para tratar uma grande variedade de problemas.

Reconhecer um bom terapeuta

As terapias alternativas não se adequam a todo o tipo de problemas. Não espere tratar doenças tão graves como o cancro ou a sida por esta via. Antes de escolher uma terapia, procure informar-se sobre o seu campo de aplicação.

Para ter mais garantias, escolha sempre os terapeutas alternativos credenciados e autenticados de forma a que não seja enganado e não brinquem com a sua saúde.

Um bom terapeuta possui documentação referente à sua formação profissional e não se importa de responder a questões colocadas pelos pacientes, procura saber se um médico já fez algum diagnóstico da doença e, em caso afirmativo, pede informações a esse respeito, para que possa dar inicio a terapia de uma forma eficaz e sem problemas para a sua saúde, se esse tratamento já estiver a ser efetuado, o terapeuta sugere que o médico convencional seja informado e geralmente troca impressões com o doente sobre os custos do tratamento.

As diferentes terapias alternativas:

  • Osteopatia: Visa estabelecer a função das estruturas e sistemas corporais, agindo através da intervenção das mãos sobre os tecidos – músculos, articulações, ligamentos, etc.
  • Acupunctura: é uma medicina tradicional chinesa e consiste na aplicação de agulhas em pontos fulcrais do corpo definidos por “Acupontos” para obter o efeito terapêutico em diversas condições.
  • Quiropatia ou quiroprática: visa restaurar interferências no sistema nervoso, fazendo apenas o uso das mãos. Através da manipulação e ajustes específicos, trata e previne dores ciáticas, lombalgias, dorsalgias, subluxações (alterações articulares e musculares) e distorções posturais.
  • Fitoterapia: pretende elevar o uso de ervas e substâncias vegetais comuns na medicina popular à categoria de substâncias de síntese química, típicas da medicina moderna.
  • Homeopatia: desenvolvida na Alemanha em finais do séc. XVIII, baseia-se na chamada “lei dos semelhantes”, segundo a qual uma substância que provoca um sintoma num indivíduo saudável também pode curá-lo, se administrada em doses muito diluídas.

O fármaco é ainda agitado com energia. Segundo os homeopatas, esta ação mantém as propriedades do princípio activo, mesmo que a diluição seja muito elevada. Estas são algumas das indicações para uma correta utilização das terapias alternativas.

Classificação
A sua opinião
[Total: 1 Média: 5]