Chegou a hora de acertar o seu relógio biológico

0
894

Reger a sua vida pelo relógio biológico é algo que todas estamos habituadas a fazer, mas sabe que este pode ainda ajudá-la a tirar o melhor proveito da sua saúde e do seu ritmo.

O nosso organismo não pode fazer tudo ao mesmo tempo nem a qualquer momento, uma vez que todos somos dotados de relógios biológicos que ordenam às células o que devem fazer e qual o momento do dia ou da noite em que o devem pôr em prática, assim como a semana, o mês e o ano.

Os ritmos mais conhecidos são os do sono/vigília, a oscilação da temperatura corporal, a fome e o desejo sexual.

Relógio biológico

A cronoterapia estuda os ritmos e ciclos biológicos que regem o nosso organismo e a sua organização no tempo. Perceber quais são os seus verdadeiros ritmos vai ajudá-la a tirar todo o rendimento da sua energia.

Ritmos biológicos

Os ritmos biológicos são quase idênticos para a maior parte dos indivíduos, mas podem ocorrer também variações de pessoa para pessoa.

No contexto da nossa agitada vida actual, é possível sentir-se menos cansada, mais produtiva no trabalho, desfrutar momentos de repouso sem sentir-se culpada, comer apenas o suficiente, estar em harmonia consigo mesma, com a natureza e com o meio ambiente? Sim, desde que acerte os ponteiros do seu relógio biológico.

Conheça o seu relógio biológico

Primeiro que tudo, vai necessitar de descobrir qual é o seu ritmo.

É uma matutina ou uma vespertina?

Assim que nasce o Sol já tem tomado o pequeno-almoço e está pronta para ir trabalhar, ou deixa tocar o despertador três vezes antes de se levantar e mesmo assim, meio a dormir?

Os relógios biológicos do sono regulam-se pelos ritmos que se repetem em ciclos de 24 horas de temperatura, que atinge o seu ponto máximo perto das 18 horas, decresce depois pouco a pouco até atingir o seu nível mínimo no meio da noite e, em seguida, recomeça lentamente a subir.

A baixa de temperatura é o sinal para o corpo entrar no sono e essa altura varia muito de pessoa para pessoa, ao passo que o desejo de se levantar ocorre quando a temperatura começa a subir, nas primeiras horas da manhã.

São as diferenças individuais que fazem com que a hora de despertar desempenhe um papel muito importante no que diz respeito à capacidade de atenção, à disposição física, emocional e mental e ao bom humor de cada um de nós.

Algumas das hormonas que fabricamos para obter uma boa disposição geral (cortisol, adrenalina, testosterona) foram introduzidos no nosso organismo de manhã, mas os seus efeitos muitas vezes só se fazem sentir seis ou sete horas mais tarde.

Se é daquelas pessoas que demoram muito tempo até conseguirem acordar completamente, aconselhamos a que entre as 7 e as 8 horas da manhã, quando acordar o faça de forma tranquila e lenta, porque raras pessoas conseguem saltar logo da cama com energia.

Tome um duche quente para fazer subir a temperatura do corpo. Em seguida, um bom e substancial pequeno-almoço, que deve durar pelo menos uns 20 minutos.

Às 9 horas, dê início a alguma actividade e tenha em conta que a eficiência chega ao seu nível máximo pelas 10h da manhã. Dê preferência a tarefas ligadas com a memorização, pesquisa e leitura.

Às 11 horas faça uma pausa de alguns minutos de relaxamento, um pequeno lanche para aqueles que não tomaram um pequeno-almoço suficiente. A seguir, a retoma do trabalho.

O almoço deve ter lugar a partir das 12h30, mas não maltrate o seu estômago. Prefira uma refeição leve que dure pelo menos meia hora: peixes ou carnes magras, legumes, um pedaço de queijo fresco ou frutas já bastam.

A seguir, procure sair do local de trabalho, caminhar. Se quiser fazer exercício físico, prefira os mais suaves, como os de alongamento.

Preferencialmente, às 14 horas deveria decorrer um período de repouso, uma vez que a nossa capacidade de atenção experimenta um declínio e por isso o corpo precisa de uma pequena sesta de 5 a 20 minutos.

Se não o puder fazer, procure um local isolado, feche os olhos, divague despreocupadamente durante esse tempo. Retome depois o trabalho, reservando as tarefas mais delicadas e difíceis para as 16 horas, quando as capacidades intelectuais estão ao máximo.

É o momento ideal para reflectir, raciocinar, criar, memorizar aquilo que deseja gravar mais profundamente.

A hora em que os nossos cinco sentidos estão mais despertos é perto das 17 horas. Aproveite para saborear bebidas ou petiscos raros, cozinhar, dedicar-se ao artesanato, cuidar do jardim, escutar música, namorar.

Esta hora é também conhecida como ‘hora do amor’, quando as hormonas masculinas, a temperatura do corpo e a emotividade estão em alta, e que se estende até às 19 horas.

A partir daí e até às 20 horas, é a chamada ‘happy hour’ dos ingleses, tempo para a vida social, as saídas, os encontros com amigos num café ou num bar. Depois, é hora do jantar que deve ser também uma refeição ligeira.

A partir das 22 horas, pode iniciar a caminhada para a cama, porque as faculdades começam pouco a pouco a adormecer, a temperatura do corpo baixa e o corpo pede repouso. Bons sonhos.

Classificação
A sua opinião
[Total: 1 Média: 5]