Pelos caminhos do Budismo, uma filosofia oriental de vida

2286
Pelos caminhos do Budismo, uma filosofia oriental de vida
Pelos caminhos do Budismo, uma filosofia oriental de vida

Proveniente do termo budhi, budismo significa acordar. Com mais de 2500 anos, o Budismo é hoje em dia uma filosofia de vida que consegue seduzir cada vez mais pessoas. Entremos, pois, nos caminhos do Budismo!

O Budismo está presente em quase todos os cantos do mundo. Os mais de 300 milhões de “fiéis” em todo o planeta, desde a Europa, EUA ou a Ásia, são o exemplo vivo da força que o Budismo conserva. O local de nascimento do Budismo foi na Índia, a partir dos ensinamentos de Sidarta Gautama, um jovem príncipe, que aos 29 anos abdicou de tudo para passar a viver como monge.

O seu desejo: entender e acabar com o sofrimento! Ainda que tenha estado em contacto com outros mestres, e se tenha empenhado no assunto, só mais tarde Sidarta Gautama, aos 35 anos, e após um longo período de reflexão e meditação, sentado debaixo de uma enorme árvore, conseguiu encontrar a essência, os motivos e causas que levam ao sofrimento. Tinha sido Iluminado, e nascia assim o Buda!

Esta “filosofia de vida”, o Budismo, pretende ensinar muitas coisas aos homens: desenvolver todas as capacidades intelectuais destes para que a natureza da vida seja descoberta, explorar ao máximo a arte de amar todos os seres, a compaixão e a caridade, por forma a ter uma relação verdadeira com tudo ao nosso redor.

O Budismo “é uma forma de ver e encarar o mundo”!

As verdades iniciais que Buda descobriu foram quatro: tudo na vida envolve sofrimento, quer seja amar ou morrer; as causas do sofrimentos são basicamente três- ódio, ignorância, e desejo ;ao terminarem estes sentimentos, termina o sofrimento; o caminho para terminar com o sofrimento envolve três práticas- Sila, isto é, os preceitos, a ética, e a conduta; Prajna, ou seja, sabedoria, conhecer o Darma e compreendê-lo; e Dhyana, a meditação.

Sidarta Gautama, o famoso Buda, era filho de um rei guerreiro, e cresceu sempre rodeado pela riqueza e luxo. Ainda jovem, já Sidarta revelava interesse pela meditação e reflexão, e aos 7 anos de idade, ao ver uma minhoca a ser devorada por um pássaro, Buda sentou-se debaixo de uma árvore para contemplar e meditar sobre este episódio.

Esta seria a primeira experiência séria na meditação, até que aos 29 anos Sidarta enveredou pelo caminho da descoberta para terminar com o sofrimento do mundo, deixando para trás a família. Mas, foi por volta dos 35 anos que, ao sentar-se debaixo de uma grande árvore, convicto de que teria que atingir o Nirvana, ele atingiu diversos níveis de consciência. Foi nesta altura que nasceu Buda, o Iluminado!

O Budismo cresceu bastante, e foi ganhando adeptos um pouco por todo o mundo, dando origem ao nascimento de diversas escolas e mestres relacionados com a matéria. O Budismo, na China, teve um forte crescimento, em parte influenciado por Bodhidarma, monge que havia chegado à China e que considerava o Budismo demasiadamente intelectual. Durante nove anos, este monge esteve num convento a praticar meditação, e seria a partir dele que nasceria a escola C’han, tradução chinesa para Dhyana (meditação), na China. Porém, este nome foi traduzido no Japão por Zen, embora queira dizer a mesma coisa, ou seja, meditação.

Buda morreu por volta dos 80 anos, já muito doente, uma vez que passou uma boa parte da sua vida a viajar, desenvolvendo os seus ensinamentos e levando-os até ao mundo. Com o Budismo, a forma como observa a sua vida será totalmente diferente. Você vai passar a encarar o seu interior, e o mundo à sua volta, de uma outra forma, embora tudo se mantenha exatamente como está. O que se transforma é a maneira de ver o mundo e o seu íntimo.

A qualidade de vida de cada um altera-se para um plano mais positivo, e o comportamento modifica-se, bem como as experiências vividas terão um novo significado. Só através dos ensinamentos, o Dharma, poderemos alcançar essa nova esfera, embora esse processo decorra de uma forma lenta, revestida de uma grande vontade de aprender.

“A ignorância é o mal soberano de que decorrem o sofrimento e a miséria humana. O conhecimento é o principal meio para se adquirir a elevação da vida material e espiritual. É necessário praticar o bem porque o bem é o fim supremo da Natureza”. Estas são as palavras de Buda que deve guardar sempre consigo! Encontre você também o caminho para a Iluminação através do Budismo, e descubra uma outra forma de encarar a vida!

Classificação
A sua opinião
[Total: 1 Média: 5]