Decálogo da serenidade

2147
decálogo da Serenidade
decálogo da Serenidade

Posso praticar bem durante doze horas este Decálogo da Serenidade  o que me desanimaria se pensasse que o deveria praticar durante a minha vida.

  1. Hoje, apenas hoje, farei uma boa acção e não direi a ninguém. Procurarei viver, pensando apenas no dia de hoje exclusivamente estendido sem querer resolver todos os problemas da minha vida duma só vez.
  2. Hoje, apenas hoje, procurarei ter o máximo cuidado na minha convivência: ser cortês nas minhas maneiras, a ninguém criticarei, nem pretenderei melhorar ou corrigir à força ninguém, senão a mim mesmo.
  3. Hoje, apenas hoje, serei feliz na certeza que fui criado para a felicidade, não só no outro mundo mas também já neste.
  4. Hoje, apenas hoje, adaptar-me-ei às circunstâncias, sem pretender que sejam todas as circunstâncias a adaptarem-se aos meus desejos.
  5. Hoje, apenas hoje, dedicarei dez minutos do meu tempo a uma boa leitura; recordando que:, assim como o alimento é necessário para a vida do corpo, assim a boa leitura é necessária para a vida da alma.
  6. Hoje, apenas hoje, farei uma boa acção e não direi a ninguém.
  7. Hoje, apenas hoje, farei ao menos uma coisa que me custe fazer; e se me sentir ofendido nos meus sentimentos, procurarei que ninguém o saiba.
  8. Hoje, apenas hoje, executarei um programa promenorizado. Talvez não o cumpra perfeitamente, mas ao menos escrevê-lo-ei. E fugirei de dois males: a pressa e a indecisão.
  9. Hoje, apenas hoje, acreditarei firmemente – embora as circunstâncias mostrem o contrário – que a providência de Deus se ocupa de mim como se não existisse mais ninguém no mundo.
  10. Hoje, apenas hoje, não terei nenhum temor. De modo especial não terei medo de gozar o que é belo e de crer na bondade.
Classificação
A sua opinião
[Total: 0 Média: 0]