Navegador solitário de Joshua Soclum

1915
Navegador solitário de Joshua Soclum
Navegador solitário de Joshua Soclum

Navegador solitário: aventura e o sonho de um homem, contado de forma cativante, que nos faz prezar muito mais a coragem que os nossos antepassados demonstravam face aos perigos e aos revezes da sorte.

Navegador solitário

Não foi apenas William Fogg quem deu a volta ao mundo em oitenta dias na imaginação de Júlio Verne. Joshua Soclum foi o homem que aceitou um desafio do género, tendo dado a volta ao mundo em três anos, e sendo o primeiro navegador solitário a circum-navegar o planeta e o último dos aventureiros clássicos.

Através do diário deste intrépido aventureiro podemos seguir as suas aventuras a bordo do seu pequeno veleiro Spray, reconstruído de uma velha carcaça, um sonho construído pelas suas próprias mãos, em parte para colmatar o desgosto que a morte da mulher lhe havia causado.

Acompanhado pelos seus livros, o autor saboreou um pouco de tudo o que de melhor e de pior o mundo pode oferecer perto da sua principal fonte de vida: os oceanos.

Com a idade de 51 anos, Soclum decidiu enveredar por esta aventura, partindo de Boston, para uma viagem onde enfrentou um pouco de tudo, desde tufões a tempestades no mar, o ataque de populações hostis a falta de água e mantimentos, para chegar ao seu porto de partida.

Joshua Soclum foi marinheiro da marinha mercante, construtor de barcos, autodidacta e correspondente da imprensa e deixou desta viagem um relato já classificado como obra prima do género.

A Editora Europa-América apresenta esta obra na sua colecção ‘Aventuras e Viagens’ em comemoração do centenário da primeira edição em livro do ‘Navegador Solitário’.

Classificação
A sua opinião
[Total: 1 Média: 5]