Absolvendo a Cinderela ou o direito de voltar a ser mulher

1053
Absolvendo a Cinderela ou o direito de voltar a ser mulher
Absolvendo a Cinderela ou o direito de voltar a ser mulher

Absolvendo a Cinderela ou o Direito de Voltar a ser Mulher é um livro que fez furor no Brasil. Agora, chegou a vez das palavras de Cátia Moraes serem editadas em Portugal.

Absolvendo a Cinderela

Absolvendo a Cinderela é um livro da jornalista Cátia Moraes, que suscita um debate corajoso em torno da mulher moderna: estaria ela a sonhar, de novo, com o Príncipe Encantado? Teria ela assumido, ao longo dos últimos anos, características da personalidade do Príncipe, ou seja, dos homens, incorporando-as no seu dia a dia (quase) sem perceber?

Ou será que a Super-mulher das últimas décadas, que se tornou sinónimo de anti-Cinderela, por excelência – uma mulher independente, revolucionária, multi-facetada, super-atarefada, agressiva, ousada, competitiva e masculina, estaria, novamente, à procura da sua vocação mais sensível, sincera, sedutora, compreensiva e feminina? Com direito a aposentar a capa e a ressuscitar até os sapatinhos de cristal – porque não?

Estes e outros pensamentos levam o(a) leitor(a) a deambular por um mundo de questões que nem sempre apresentam uma resposta imediata. Afinal, em que se tornaram as mulheres? Era isto que elas ambicionavam para si?

Entre voos e escalas em destinos incertos, rumo à libertação, o facto é que a Super-mulher anda um pouco cansada e desconfiada de tantas conquistas: depois de muita luta, está a dar conta do quão está stressada, afastada da família, da casa, e oprimida afectivamente, porque, como os homens, ela tem que ser – ou parecer – forte em todas as frentes e, principalmente, no trabalho.

Sentindo-se culpada por abandonar os filhos, admitindo que a tese da qualidade da relação não supre as suas necessidades afectivas, criticada por deixar o marido e com crises frequentes de auto-afirmação, a Super Mulher tenta encontrar o caminho para voltar a ser… Mulher! Ou mulherzinha, no bom sentido. Entre a mulher do passado e a do presente, a verdade é que a dúvida instala-se sobre que valores se perderam e que rótulos se conquistaram para as mulheres. É sobre esta transformação feminina que Cátia Moraes fala no seu livro!

Cátia Moraes nasceu no Rio de Janeiro, em 1959, é jornalista, trabalhou como repórter do jornal O Globo (1982-1986) e da então TV Manchete (1986-1995). Autora do Livro Dona-de-casa: a profissão invisível (Rio de Janeiro, Editora Objetiva, 1997), Cátia trabalha, actualmente, como repórter e guionista de programas sobre Cultura para os canais de TV por assinatura da Globosat.

Finalmente, chegou a edição Portuguesa pela mão da Hugin Editores. Este é um livro que certamente vai fazer furor entre homens e mulheres do nosso país. Para os interessados na autora, e na sua obra, relembramos que há algum tempo a Mulher Portuguesa realizou uma entrevista com Cátia Moraes, estando a respectiva entrevista disponível na nossa secção “À conversa com…”.

Classificação
A sua opinião
[Total: 1 Média: 5]