As Lágrimas Amargas de Petra Von Kant

1386

As Lágrimas Amargas de Petra Von Kant é umtexto original de Rainer Fassbinder, que o Grupo In Impetus interpreta até aodia 18 de Novembro, no Clube Estefânia.

Pedro Barão é o Director da Companhia do Clube Estefânia, que levará a cena a peça ‘As Lágrimas Amargas de Petra Von kant’, um texto de Rianer Fassbinder. O espectáculo centra a sua acção nos anos de hoje, sendo por isso um pouco mais moderno do que o original.

Mantendo a história toda a sua estrutura inicial, salvo raras excepções, a peça aborda da mesma forma que a inicial o complexo da homossexualidade. Duas mulheres unidas, mas que ao mesmo tempo se desgastam em discussões, é a essência ao redor deste texto. O final é sempre uma incógnita, tendo em conta as recriações anteriores do texto.

A peça está acompanhada com música, embora esta não seja a música original. O ambiente é criado com a máxima complexidade e a intenção é tornar o mais real possivel a convivência entre estas mulheres . Em torno do sexo, neste caso específico em volta da homossexualidade, o cenário não podería ser mais elucidativo: uma cama no meio do palco.

Dando à peça um ar muito natural e real, este é um texto complexo e gerador de muitas opiniões, o que torna todo o ambiente de ‘As Lágrimas Amargas de Petra Von Kant’ numa história emocionante. Petra, a estilista, e Marlene, a empregada, são as personagens de destaque do texto de Rainer Fassbinder.

Filipa Albuquerque, Ana Palma, Sílvia Balancho e Maria João Machado são os nomes das actrizes desta peça. Mulheres que cultivam emoções, paixões, sensações e histórias. Do pudor da Homossexualidade para a realidade, o Clube Estefânia apresenta ‘As Lágrimas Amargas de Petra Von Kant’, até ao dia 18 de Novembro.

Classificação
A sua opinião
[Total: 0 Média: 0]