Dia Nacional do Dador de Sangue, comemora-se a 27 de Março

1853
Dia Nacional do Dador de Sangue
Dia Nacional do Dador de Sangue

Dar sangue é fundamental! Ainda que nem todas as pessoas possam ser submetidas a este processo, é imprescindível que os portugueses percebam a importância deste gesto nem que seja só uma vez por ano, no Dia Nacional do Dador de Sangue.

O Dia Nacional do Dador de Sangue é comemorado a 27 de Março, sob a forte esperança que brevemente possamos ter uma consciência mais direccionada para iniciativas deste âmbito. Dar sangue é extremamente importante!

Nem sempre há sangue suficiente para se realizar um transplante, e a sua ajuda é preponderante para salvar a vida de mais uma pessoa.

O dador de sangue deve ser uma pessoa cujo único objectivo com o seu acto seja apenas ajudar, sem qualquer recompensa material ou monetária.

Dia Nacional do Dador de Sangue

O objectivo é apenas uma causa humanitária e que contribui para a saúde e ajuda de todos os doentes em condições necessitadas de receber sangue. Dar sangue não é complicado e requer apenas algum tempo disponível da parte do dador.

O dador de sangue oferece ao doente cerca de 350 a 400 ml de sangue de cada vez, sabendo que para dar sangue terá que ter, no mínimo, um peso de 50 kg.

O dador de sangue terá que ter mais de 18 anos e menos de 65, e só é considerado dador habitual se der sangue, no mínimo, duas vezes por ano. O sangue pode ser fornecido por homens ou mulheres, independentemente de qualquer outro factor que não esteja relacionado com um estado de saúde débil.

Felizmente, em Portugal começa já a haver dadores de sangue habituais, embora os números não atinjam ainda aquilo que seria considerado o ideal. Para que as pessoas estejam mais elucidadas acerca dos componentes que constituem o sangue, fique pois a saber que o sangue é constituído pelo plasma, eritrócitos, leucócitos e plaquetas.

O plasma é um líquido amarelo claro, com um odor doce e razoavelmente pegajoso, com quantidades elevadas de substâncias já dissolvidas, desde açúcar, hormonas, entre tantas outras. Já os eritrócitos, os denominados glóbulos vermelhos, são células vermelhas que levam o organismo e o dióxido de carbono para diversas zonas.

Há ainda as plaquetas que são responsáveis, até certo ponto, pela coagulação do sangue, e os leucócitos, os chamados glóbulos brancos, as células que têm a seu cargo lutarem contra doenças ou outros corpos estranhos que se instalem no nosso organismo.

Por causa dos seus constituintes é primordial que sejam realizadas análises com alguma frequência, para se ter a certeza que as coisas estão a funcionar plenamente. O dador de sangue tem que ser sujeito a um exame de sangue para ver se tudo está em ordem, não vá fornecer, inconscientemente, sangue com graves problemas ou ser portador de alguma doença. Daí que, a prevenção seja fundamental!

Dar sangue devia deixar de ser uma coisa ocasional, para passar a ser um hábito da população portuguesa. Quem sabe assim não se conseguissem salvar mais vidas e diminuir a taxa de mortalidade em Portugal, aumentando também a de esperança de vida.

Os mitos que se criaram à volta de dar sangue são, em muitos casos, falsos. Naturalmente que a pessoa se poderá sentir um pouco fraca de início, mas isso é apenas por breves momentos. Não se esqueça que se deu sangue é porque lhe diagnosticaram capacidades para tal.

Vá descontraída, calma, e verá que tudo correrá bem. Não se esqueça que pode salvar mais uma vida! Faça-o, começando hoje mesmo e daqui para a frente, oferecendo sorrisos de felicidade a muitas famílias. Dê Sangue!

Classificação
A sua opinião
[Total: 0 Média: 0]