Dia da Imaculada Conceição, celebra-se a 8 de Dezembro

4210
Dia da Imaculada Conceição, celebra-se a 8 de Dezembro
Dia da Imaculada Conceição, celebra-se a 8 de Dezembro

É a Nossa Senhora da Conceição a quem o feriado da Imaculada Conceição é dedicado, depois de D. João IV, rei de Portugal, a ter declarado como padroeira do reino.

Corria o ano de 1646 e uma decisiva batalha era travada em Montes Claros, Vila Viçosa. Era a batalha que viria a restaurar a soberania portuguesa. D. João IV, após a vitória sobre os espanhóis, proclamou Nossa Senhora da Conceição a padroeira de Portugal.

 

Dia da Imaculada Conceição

Antes dele, D. Afonso Henriques, num acto público e solene, ajoelhou perante a sua imagem e colocou-se sob a sua tutela.

A imagem original, uma escultura do século XVI, encontra-se actualmente na capela-mor da igreja matriz de Vila Viçosa, ciosamente guardada pelas muralhas do castelo. As memórias da devoção chegam pelos legados religiosos de Alcobaça, Batalha, Santa Maria de Belém e inúmeras capelas e igrejas espalhadas por Portugal e Brasil.

O seu culto como padroeira começou em 1646, quando D. João IV, durante as Cortes, a elege Padroeira do Reino de Portugal, sendo que desde essa data, em sinal de devoção e respeito, todos os reis portugueses passaram a ser representados ao lado da Coroa Régia, tendo esta, a partir de 1646 sido entregue à imagem da Padroeira de Portugal.

As rainhas e nobres portuguesas também não deixaram de prestar o culto à Padroeira e ofereciam-lhe mantos reais bordados a ouro e pedras preciosas, actualmente um espólio orçado em milhares de contos. No dia celebração, a imagem é vestida com estes mantos, tradição que se mantém desde o século XVI.

Nossa senhora a padroeira de Portugal

No dia 8 de Dezembro de 1854 o papa Pio IX decretava, solenemente, e para todo o mundo, o dogma da Imaculada Conceição da Virgem Maria. A reconfirmação da pessoa da Virgem Maria enquanto Padroeira de Portugal foi efectuada pelo Papa Pio XI, a 25 de Março de 1936.

Maria de Nazaré, Imaculada Conceição, foi a mulher escolhida para gerar o filho de Deus, Jesus Cristo. Em Portugal é mais conhecida como Senhora de Fátima, em Espanha já é Senhora do Pilar, no Brasil é Senhora da Aparecida, no México é venerada como Senhora de Guadalupe, na Polónia é a Virgem Negra de Tchestócowa, e em França é senhora de Lurdes.

Ela é ‘Senhora da Aflição’ em Macinhata do Vouga, mas é, também, ‘Senhora da Ajuda’ em Paredes; é ‘Senhora da Alumieira’ em Aguada de Baixo e ‘Senhora do Amparo’ em Recardães e Travassô onde também tem o título de ‘Senhora da Apresentação’. Em Espinhel já encontramos a ‘Senhora da Assunção’.

Outros títulos são ‘Senhora dos Banhos, ‘Senhora do Béco’, ‘Senhora da Boa Morte’ ‘Senhora do Bom Despacho’, ‘Senhora do Bom Parto’, ‘ Senhora do Bom Sucesso’, ‘Nossa Senhora dos Caminhos’, ‘Senhora das Candeias’ e poderíamos continuar por aqui com uma lista quase infindável que se fica a dever à imaginação e necessidades de um povo absolutamente religioso.

O santuário da Padroeira de Portugal, a igreja de Nossa Senhora da Conceição, antigamente chamada de Santa Maria do Castelo, situa-se dentro da cerca das muralhas e foi visitada em peregrinação pelo Papa João Paulo II. Remodelada após terramoto de 1755, sofreu profundas alterações nos fins do século XIX, assumindo o seu exterior as linhas sóbrias que hoje conserva.

Também na bandeira monárquica que representou Portugal, a cor azul era uma alusão a Nossa Senhora da Conceição, Padroeira de Portugal.

Classificação
A sua opinião
[Total: 1 Média: 5]