Shadow of the Vampire em Portugal

1371
Shadow of the Vampire
Shadow of the Vampire

Shadow of the Vampire é o filme que conta a história das cenas bizarras e macabras que aconteceram nas filmagens do famoso filme de Murnau Nosferatu. Um filme sobre vampiros, sangue, onde uma companhia de cinema vê-se nas teias de um actor demasiadamente entregue à arte e de um realizador estranhamente obcecado por levar o seu filme avante, a todo o custo.

Shadow of the Vampire

No papel de Murnau, o realizador, encontramos John Malkovich, e no papel do actor central, o pseudo Conde Orloc, Willem Dafoe, num papel exemplar.

O que o filme nos mostra no seu decorrer é exactamente a rodagem de ‘Nosferatu’ num sentido extremamente obsessivo e desumano. Murnau, aqui representado por John Malkovich, é um realizador obcecado pela produção deste filme e por cenas vampirescas, de maneira a conseguir um filme mudo que fosse capaz de exprimir de forma real a vida do Conde Orloc.

Para esse efeito contrata Max, um ser de atitudes estranhas e ávido de sangue humano. As suas atitudes começam a demonstrar um lado demasiadamente real para a sua interpretação ser meramente teatral, e é nessa altura que a companhia de técnicos e actores que acompanham Murnau começam a viver num inferno.

A figura que representa o Conde Orloc mantém sempre a mesma pose, rosto, e expressão macabra na face. Em nenhuma ocasião temos acesso ao lado humano da pessoa que Murnau havia contratado para desempenhar esse papel, mas apenas a personagem já devidamente adaptada à tela.

O real agindo naturalmente, ou a verdade escondida atrás do disfarce? E quem é este actor que Murnau havia contratado? Um duplo ou o verdadeiro vampiro que todos procuram conseguir retractar no filme?

Alguns momentos do filme chegam mesmo a conter instantes de comédia suave, na qual encontramos as cenas que deviam ser de terror meramente ridicularizadas perante o olhar do espectador. Porém, existem ainda no decorrer do filme algumas cenas que merecem o nosso destaque, na medida em que contêm, de forma muito discreta, raros laivos de horror, a maioria deles filmados a preto e branco.

Ainda assim, é de referir que tendo em conta a época em que Murnau rodou o filme esta é uma verdadeira obra prima num tempo onde a saga dos vampiros fazia muitas vezes o assunto da ordem do dia.

É de referir as passagens de cenas com cor e a falta dela ao longo do filme, assinalando a mudança de épocas temporais, realizadas de forma também ela misteriosa e repleta de mistério em torno da figura do Conde Orloc.

O cenário não podia ser mais indicado, meticulosamente escolhido e pormenorizadamente revestido de suspense. Na verdade, o filme atinge o seu expoente máximo na parte em que se conhece o misterioso actor que Murnau contratou, no desenrolar da personagem deste, dentro e fora do filme ‘Nosferatu’, mas o grande êxtase de todo o filme é verificado na parte final: um conjunto de mortes, promessas quebradas e traições marcam o final de Shadow of the Vampire. Porém, Murnau realizou aquele que viria a ser um filme demasiadamente polémico, mesmo passando por cima da condição humana.

Um filme com cerca de 90 minutos, baseado na rodagem do filme mudo de Murnau, ‘Nosferatu’, onde a diferença entre realidade e ficção pode ser mínima. Um filme que conta com a participação de John Malkovich e de Willem Dafoe, realizado por Elias Merhige.

Um filme onde o silêncio sinistro acolhe o terror!

Classificação
A sua opinião
[Total: 1 Média: 5]