Depressão Familiar

0
2317

As discussões são constantes. Sente-se em baixo e aborrecida sem nenhum motivo aparente e, o pior, é que esse ambiente é comum a todos os elementos do lar. Porquê?

As depressões familiares podem surgir em qualquer fase, mesmo que à partida não haja qualquer motivo para essa situação. A pessoa anda chateada, em baixo de forma, sem uma auto estima fortalecida. Esta tendência de estar sistematicamente neurótica e em estado depressivo acaba por contagiar a todos, e os resultado só podem ser negativos.

Os pais andam extremamente sensíveis. Ninguém pode dizer nada, porque senão salta-lhes logo a tampa. Os filhos fecham-se no quarto, entram mudos e saem calados. Parece que não há nada a dizer, a comunicar, e todos agem como se fossem estranhos uns para os outros. O grave de tudo isto é que todos eles constituem uma família, mas uma família em estado depressivo e com a auto estima abaixo dos níveis normais.

Há que compreender, em primeiro lugar, a causa da neurose e depois procurar encontrar uma solução adequada. Todavia, não basta encontrar a causa pois há que percebê-la, compreendê-la e, acima de tudo, deixar passar o tempo até que esse estado passe naturalmente. Quando alguém lhe disser alguma coisa que a desagrade, evite responder de imediato e, pense duas vezes antes de o fazer de maneira arrogante e impulsiva. Tente ao máximo aproximar-se dos outros, mas alterando a sua postura e atitude em especial no seu lar.

De uma vez por todas, compreenda que as coisas não podem ser sempre à sua maneira, e que os outros também têm limites. Não exija demais dos seus filhos ou companheiro. Tente compreender o ponto de vista das pessoas que a rodeiam, não julgando de antemão que só o seu é que está certo e que possui toda a essência da verdade. À partida, terá algumas dificuldades para seguir este procedimento, mas se se esforçar chegará lá.

Os hábitos e as rotinas que considera estarem a fazer mal a si e à sua família, provocando o desentendimento, devem ser alteradas. Mas, estas mudanças devem acontecer diante dos interesses de todos e não somente dos seus. Para que a sua família não perceba essas mudanças, estas devem ser realizadas subtilmente e demoradamente. Em vez da rotina habitual faça coisas diferentes: leve a família toda ao cinema, embora a escolha do filme deva ser unânime, ou convide todos para jantar fora num local agradável.

Tente ser agradável, gentil e esteja sempre com um sorriso nos lábios, sinónimo de que está a apreciar o momento em que a família está toda junta. Não levante a voz, não encolha os ombros, evite comentários desnecessários e provocatórios. Se não conseguir de início agir assim, imagine que “aquilo” é um filme e que você está em directo. Como não pode repetir a cena, tem mesmo que levar aquela postura avante pois, ficticiamente, estão milhões de pessoas a assistir. Este truque costuma resultar e consigo também produzirá o efeito correcto.

Cause surpresas à sua família relativamente às suas reacções. Quando eles esperarem que vai explodir reaja com naturalidade e maturidade, provocando a surpresa e satisfação dos que a rodeiam. Ao adoptar uma postura mais aberta, pode constatar facilmente que os seus familiares seguem a mesma linha que você. Com ou sem motivos para o silêncio que se instala em determinadas fases no seio da família, alguém deve modificar a situação. Agora, nós estamos a dar-lhe a oportunidade de ser você esse motor de arranque. Não a desperdice!

Classificação
A sua opinião
[Total: 1 Média: 5]