O ciúme é uma emoção humana

4258
O ciúme é uma emoção humana
O ciúme é uma emoção humana

Se o ciúme pode ser considerado por algumas pessoas como o sal do amor, pode também tornar-se algo de destrutivo quando levado ao extremo. E esse extremo é o Ciúme Patológico…

Os ciúmes têm provocado mortes e desuniões por toda a história da Humanidade. Em questões de ciúme, a linha divisória entre a imaginação, a crença e a certeza é muitas vezes imprecisa, o que leva a problemas frequentes, mesmo a sentimentos doentios. É claro que uma dose de ciúmes num relacionamento não fazem muito mal e na medida certa, em alguns casos, servem até como um estímulo.

Os ciúmes normais não tornam as pessoas presas aos seus sentimentos e são um sentimento detonado por uma circunstância específica. No entanto, quando este se baseia apenas em factos imaginados passa a ser considerado uma patologia.

O ciúme é uma emoção humana extremamente comum e por vezes é difícil traçar uma divisão entre ciúme normal e patológico. Normalmente manifesta-se através de um conjunto de emoções desencadeadas por sentimentos de alguma ameaça à estabilidade mas que termina com o esclarecimento da situação, por vezes bastando para tal uma conversa a dois. Os elementos que levaram a esse sentimento podem ser uma reacção face a uma ameaça percebida, a existência de um rival real ou imaginário ou a possibilidade de perda do objecto amado.

A maneira como o ciúme é encarado tem variações importantes nas diferentes culturas e épocas e, por exemplo, no século XIV estava relacionado com a paixão, devoção e zelo, à necessidade de preservar algo importante, sem conotações pejorativas de possessividade e desconfiança. Por sua vez, as sociedades monogâmicas associam este sentimento à defesa da honra e da moral, usado mesmo como um instrumento de protecção da família.

Há poucos anos atrás a fidelidade feminina ainda tinha mais peso e era mais controlada, sendo desconsiderada a mulher adúltera, ao passo que a infidelidade masculina era tida como de bom tom ou encarada com alguma leveza. Nos tempos actuais, o ciúme continua a ser encarado como um sinal de amor.

O Ciúme Patológico é um desarranjo do foro psicológico que pode levar a situações ridículas e até perigosas, tornando as dúvidas em ideias concretas e as desconfianças em provas, chegando mesmo a tornar-se delirantes. Os ciumentos começam a ter comportamentos que nunca teriam noutra situação, como abrir a correspondência alheia, a verificar saídas, ouvir telefonemas, remexer bolsos, carteiras, seguir o companheiro ou pedir a amigos ou detectives que o façam, numa tentativa de aliviar o sentimento de ciúme.

Mas em vez da paz de espírito, esta permanente inquisição arrasta mais desconfiança. Em constante busca de evidências e confissões, os ciumentos gastam energias e acabam por desgastar a paciência dos companheiros e amigos. Por seu lado, os companheiros têm de optar por uma vivência de simulação, escondendo presentes, mentindo ou omitindo factos e informações numa tentativa de minimizar os problemas de ciúmes, embora esta atitude acabe por agravar ainda mais a situação.

O Ciúme Patológico revela o desejo de controle total sobre os sentimentos e comportamentos dos companheiros e é um problema interessante para a psiquiatria, porque envolve riscos e sofrimento, podendo ocorrer em diversos transtornos mentais.

Compreende também vários sentimentos perturbadores, desproporcionais e absurdos, os quais determinam comportamentos inaceitáveis ou bizarros e os ciumentos patológicos passam por emoções várias como a ansiedade, a depressão, a raiva, a vergonha, a insegurança, a humilhação, a culpa, o aumento do desejo sexual e do desejo de vingança. O doente de ciúme patológico apresenta por seu lado pouca ou nenhuma auto-estima, sensação de insegurança e vulnerabilidade. Esta pessoa é um vulcão prestes a explodir e vê o mundo e o amor de forma distorcida.

Se nota que o seu companheiro(a) apresenta algum destes comportamentos, não hesite em procurar ajuda médica, porque pode não se tratar apenas de um ataque de ciúmes mas de um caso patológico que pode mesmo acabar em tragédia.

Classificação
A sua opinião
[Total: 0 Média: 0]