Astrologia, a ciência que vê o futuro nos astros

0
2308
O que é a Astrologia
O que é a Astrologia

Diariamente lemos horóscopos e lidamos com os signos do zodíaco – na maior parte das vezes por mera curiosidade – mas será que sabemos realmente o que é a astrologia? Vamos procurar caminhar um pouco nesse sentido.

A astrologia não é simplesmente uma ciência que vê o futuro nos astros, mas sim uma ferramenta para o nosso auto-conhecimento e crescimento enquanto seres humanos. Uma procura da harmonia entre nós próprios e a última fonte de vida e energias: o Universo.

A astrologia enquanto ciência parte do princípio de que tudo o que acontece, acontece com o todo – Universo – e que tudo o que acontece no Universo se reflete em tudo. Parece complicado? Não é.

Cada célula de um organismo é capaz de representar o organismo como um todo. Partindo deste princípio, podemos fazer uma analogia dizendo que cada um de nós, ou melhor, cada ser vivo, seja sob a forma mineral, vegetal ou animal, somos todos células de um grande corpo, de um grande organismo, que se expressa na matéria através do Sistema Solar.

Com base neste teoria, a Astrologia trabalha através de um mapa, ou seja, uma carta astral, que é nada mais nada menos do que o desenho do Sistema Solar no momento do nosso nascimento. Porque se a nossa energia se manifestou quando o todo estava assim, então ela faz parte dele e interage com ele em todas as medidas. É essa interacção que o mapa astral permite estudar.

O Sistema Solar é composto pela estrela central, o Sol, ao redor da qual giram planetas, cometas e asteróides. Além do Sol, existem muitas outras estrelas no Sistema Solar, que não giram ao redor dele, mas sim com ele. Algumas dessas muitas estrelas formam as chamadas constelações zodiacais, que são doze e formam um cinturão em torno do Sistema Solar.

Assim como no Céu, na parte mais externa do Sistema Solar, nós encontramos as doze constelações zodiacais, no nosso mapa astral, também na parte mais externa, encontramos os doze símbolos correspondentes a essas doze constelações, que na astrologia são chamadas de signos. Portanto, constelações zodiacais e signos são a mesma coisa, só que o primeiro é um termo astronómico, enquanto que o segundo é um termo astrológico.

Ambas as ciências lidam com os corpos celestes, e enquanto a astronomia estuda a parte física do corpo celeste, a astrologia estuda a parte energética.

Ao falarmos do grande corpo do Sistema Solar, partimos do princípio de que ele tem dois corpos – físico e energético. Portanto, ao fazermos a leitura do mapa astrológico de cada pessoa, manteremos o princípio de que ela também tem dois corpos, um físico e um energético.

  • O corpo físico é o que está limitado pelo tempo e pelo espaço. O limite do tempo é sentido através do nascimento e da morte e o limite do espaço através da impossibilidade de nos manifestarmos em qualquer outra dimensão que não seja física.
  • O corpo energético não se limita nem pelo tempo, nem pelo espaço, porque uma energia nunca nasce nem nunca morre e tem um campo vibracional infinito.

Os quatro elementos

Os elementos são um dos pontos de partida para um estudo astrológico de uma pessoa. Eles são quatro – Fogo, Terra, Ar e Água, e a cada um deles correspondem três signos do zodíaco. As características do elemento correspondente a um signo refletem já algumas das características das pessoas regidas por este.

Signo Solar e Signo Ascendente

Em primeiro lugar, o signo de uma pessoa é determinado pela posição dos astros no momento do seu nascimento, e é vulgarmente conhecida a tabela dos signos solares – um para cada mês do ano, aproximadamente. O cálculo do signo ascendente é mais complexo, pois engloba não só a data de nascimento como também a hora e o local.

Os Planetas

No estudo astrológico, os planetas do Sistema Solar são separados em dois grupos: Internos ou Pessoais e Externos ou Transpessoais.

Conheça também os benefícios da astrologia na nossa vida.

Classificação
A sua opinião
[Total: 0 Média: 0]